Métodos que prometem substituir a cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica é um procedimento adotado por quem sofre com os males da obesidade. O termo faz referência a um conjunto de técnicas…

A cirurgia bariátrica é um procedimento adotado por quem sofre com os males da obesidade. O termo faz referência a um conjunto de técnicas cirúrgicas que visam reduzir o tamanho do estômago. Geralmente a operação leva duas horas e o paciente fica três dias internado no hospital.

Os pesquisadores estão buscando meios de substituir a cirurgia bariátrica. (Foto:Divulgação)

Antes de recorrer à cirurgia bariátrica, o paciente deve tentar perder peso de outras formas, como através da prática de exercícios físicos e da reeducação alimentar. Se não tiver progresso, aí sim ele deve se submeter ao procedimento cirúrgico.

Os perigos da redução de estômago

Uma pesquisa revelou que, nos últimos 5 anos, aumentou quase 90% o número de brasileiros que recorrem a cirurgia bariátrica. O dado é preocupante, afinal, o procedimento é agressivo e tem os mesmos riscos de qualquer outro método cirúrgico. O perigo aumenta com a falta de regulamentação.

As complicações da cirurgia bariátrica surgem principalmente durante o pós-operatório, quando o paciente não adere ao tratamento que se propôs a fazer. Entre os problemas que podem surgir, vale ressaltar as lesões intestinais, as hemorragias, as infecções e as lesões vasculares.

Métodos que pretendem substituir a cirurgia bariátrica

O medicamento com hormônio da saciedade é uma opção. (Foto:Divulgação)

Confira a seguir os métodos que prometem substituir a cirurgia bariátrica tradicional:

Hormônio da saciedade
Pesquisadores britânicos começaram a realizar testes com um medicamento que pode substituir a redução de estômago. A droga é feita com um tipo de hormônio que imita o efeito que a cirurgia tem sobre o cérebro humano. O obeso passa a ter a sensação de saciedade, por isso reduz consideravelmente as porções alimentares.

A nova etapa dos estudos vai analisar o desempenho da droga em outros obesos. Os pacientes vão usar um dispositivo intravenoso na cintura, que aplicará doses do hormônio da saciedade. O próximo desafio dos pesquisadores consiste em criar uma injeção mais duradoura.

Leia Também:  Benefícios da soja na menopausa

Os estudiosos responsáveis pelo novo medicamento acreditam que as doses de hormônio não causam efeitos colaterais, afinal, elas são quase que ‘naturais’ para o organismo. O custo estimado do tratamento é de 3 mil libras (R$ 10,2 mil), considerando 52 injeções anuais. Vale ressaltar que a aplicação do hormônio da saciedade não cria dependência.

Novos métodos querem causar a mesma sensação da cirurgia bariátrica no cérebro. (Foto:Divulgação)

Dispositivo no intestino                       
O EndoBarrier é um aparelho instalado no intestino delgado para promover a redução de peso e o controle do diabetes tipo 2. Envolto a uma capsula, o dispositivo é inserido no organismo com a ajuda de um endoscópio. O preço do tratamento é de US$ 7,5 mil.

Aparelho de impulsos elétricos
O Aparelho bloqueia os sinais dos nervos vagos ao intestino por meio de impulsos elétricos, mantendo assim o controle do apetite. O custo do dispositivo varia de US$ 15 mil e US$ 20 mil.

Top