Menina de 12 anos usava faca para atuar em sequestros de quadrilha

Uma menina, de apenas 12 anos, atuava como vigia em ações de sequestros, praticadas por uma quadrilha. Ela usava uma faca para amedrontar e…

Uma menina, de apenas 12 anos, atuava como vigia em ações de sequestros, praticadas por uma quadrilha. Ela usava uma faca para amedrontar e ameaçar as vítimas dos sequestros.

“Quem tem contato com uma situação como essa demora a compreender, a acreditar que uma pessoa, com 12 anos de idade, possa ter agido com tamanha violência, empunhando uma faca, encostando no pescoço de uma vítima”, comentou o promotor estadual de Justiça, Wellington Veloso.

Segundo a polícia, ela era namorada do chefe da quadrilha e não era a única menor que participava das ações. Outros dois adolescentes foram pegos.

De acordo com o delegado Rodrigo Ayres, a quadrilha roubava caminhonetes de luxo, com valores acima de cem mil reais, e depois colocava os donos em cativeiros. Em seguida, os criminosos levavam os automóveis até a cidade de Pedro Juan Caballero, fronteira do Paraguai. Enquanto isso, os donos eram mantidos em um dos três cativeiros que a quadrilha possuía na cidade de Salto de Pirapora, no interior de São Paulo, e só eram liberados depois da entrega da caminhonete.

Os roubos eram feitos por encomenda. “A alegação deles era que assim que a caminhonete chegasse ao local, eles liberariam as vítimas”, disse o delegado. O crime foi descoberto depois que três homens tentaram passar pela fronteira com uma caminhonete roubada.

“No cativeiro você só escuta assim, um barulho de maçarico”. Segundo a polícia era crack. A hora que a esposa , de um dos sequestrados ligou, “a arma encostada na cabeça, ficava cleck, cleck, cleck”, conta um empresário que foi sequestrado na semana passada.

A menina e os outros dois adolescentes foram entregues as famílias. O Tribunal da Infância e Juventude de Sorocaba deve decidir qual será o destino deles, incluindo quais ações sócioeducativas serão cumpridas por eles.


Top