Melhore sua autoconfiança com 5 atitudes

Confiar em si mesmo pode ser uma missão difícil, mas saiba que não é impossível. Descubra!

Por Editorial MDT em 01/10/2011

A autoconfiança é um dos atributos mais comentados e desejados dos últimos tempos e não faltam motivos para tal. A capacidade de confiar em si mesmo é o que há de mais necessário nos dias de hoje especialmente em uma era onde a superexposição é valorizada. É preciso confiar em si mesmo para expor-se em uma entrevista de emprego, em um momento onde é preciso falar em público e onde as grandes conquistas dos sonhos mais desejados parecem mais vinculados a ideia de sucesso, mas claro: autoconfiança é bem mais que isso. Tem a ver com autoestima.

Ela é fundamental em todas as esferas. Ainda que sua presença possa hesitar diante certos momentos, ela é um dos motores que levam uma pessoa adiante e a faz querer tentar algo novo: o toque de coragem necessário para ignorar o frio na barriga em muitos aspectos da vida. Confiar em sua própria capacidade faz com que determinados passos se tornem mais fáceis de dar. O problema é que mesmo sendo fundamental, esse parece ser um problema para grande parte das pessoas.

Se autoconfiança é o que falta a você, veja o que pode ser feito para recuperá-la:

1 – Pense no que quer para si:

Tem planos? Quais são os seus desejos? Pense em tudo isso para planejar a sua jornada. A autoconfiança é necessária para que ela aconteça. Saber o que quer e como chegar é um tremendo passo. E claro, tenha metas, mas não pense grande: estabeleça metas pequenas e alcançáveis. Trabalhe com o básico, para não se inibir diante da obrigação de obter a irrepreensível perfeição.

2- Pratique o autoconhecimento e pense menos no que os outros acham.

Uma característica comum para quem tem problemas em confiar em si mesmo é estabelecer suas atitudes em concordância com o gosto de outras pessoas. Tudo bem querer um elogio, tudo bem ser reconhecido, mas viver em função do agrado alheio é um atraso de vida. Comprometa-se consigo mesmo e com os seus planos.

Deixe de olhar para si mesmo com os olhos dos outros, com as expectativas que você julga que os outros tenham e valorizam. Quem trilha o seu caminho é você mesmo, portanto resgate suas emoções e sua autonomia.

3Olhe para si mesmo com generosidade:

Ter autoconfiança não significa estar livre da possibilidade de sentir-se inseguro ou hesitar. Portanto caso haja falhas no meio do caminho ou as coisas não saírem da forma como você imagina, não se menospreza: tenha autocompaixão, tenha em mente a ideia de não olhar seus próprios atos com tanta crítica ou desgosto. Saiba qual a diferença entre a avaliação de seus atos e falhas e o exagero. Você pode estar sendo duro demais e se punindo por pouco.

4- Valorize suas conquistas:

Ao invés de querer sempre mais e julgar que faz muito pouco que tal valorizar mais aquilo que já conquistou? Agradeça a elogios caso os receba, não se menospreza julgando que o resultado poderia ter sido melhor. Não mine o seu próprio sucesso. Celebre-o!

5 – Controle seus pensamentos.

Hesitar é normal, mas não deixe que os pensamentos negativos e depreciativos tomem o controle. Tudo bem que deve haver um equilíbrio, que os pensamentos negativos são necessários por um sinal de cautela, mas em exagero ele atua de forma a paralisar os planos que tanto se esforçou para colocar em pratica. Não deixe que o medo do fracasso te paralise. Ele faz parte da vida e do aprendizado em direção a tantas outras conquistas.

Lembre-se: autoconfiança é bom, mas não em excesso. Procure o equilíbrio e traga mais harmonia para sua vida em todos os sentidos.

Top