Mastectomia preventiva: o que é, quando fazer

Mastectomia preventiva: o que é, quando fazer

A mastectomia preventiva é um procedimento polêmico e que, recentemente, ganhou destaque na mídia por receber o apoio de celebridades como Angelina Jolie, que…

Por Editorial MDT em 23/05/2013

A mastectomia preventiva é um procedimento polêmico e que, recentemente, ganhou destaque na mídia por receber o apoio de celebridades como Angelina Jolie, que se submeteu à cirurgia e reacendeu várias discussões sobre o assunto. Saiba mais e entenda o que é a mastectomia preventiva e quando fazer.

Saiba mais sobre a retirada e reconstrução da mama pelo SUS.

A mastectomia pode ser indicada em alguns casos específicos. (Foto: divulgação)

O que é mastectomia preventiva

Mastectomia é o nome dado à cirurgia para retirada dos seios, e é considerada preventiva quando o procedimento é realizado sem a paciente apresentar doenças da mama, com o único objetivo de diminuir as chances de desenvolver câncer.

Existem duas modalidades de cirurgia:

  • Mastectomia preventiva total

Nessa modalidade é removido todo o seio, incluindo os mamilos. O risco de desenvolver uma neoplasia maligna diminui substancialmente, ficando próximo de zero.

  • Mastectomia preventiva subtotal

Nesse tipo de intervenção todo o tecido mamário é removido, sendo que os mamilos são preservados. O risco de o paciente desenvolver câncer existe, mas é consideravelmente baixo.

Angelina Jolie se submeteu à mastectomia preventiva e reacendeu as discussões sobre o tema. (Foto: divulgação)

Quando pensar numa mastectomia preventiva

Apesar de ser uma cirurgia extremamente radical e causar importantes repercussões psicossociais nas pacientes, mulheres que apresentam altas chances de desenvolver câncer de mama devem considerar a cirurgia como uma medida altamente eficiente na redução dos riscos da doença.

Os principais fatores de risco que podem levar alguém a optar por essa cirurgia são:

  • Câncer de mama prévio, onde há risco significativo de desenvolver a doença do lado oposto;
  • Histórico familiar de câncer de mama, especialmente no caso de parentes próximos e que desenvolveram a doença antes dos 50 anos;
  • Alterações genéticas que podem causar o câncer de mama, como a mutação de genes como o BRCA1 ou BRCA2.

Estudos recentes afirmam que a mastectomia preventiva é capaz de reduzir, em média, 90% as chances de ocorrência de câncer de mama em mulheres com risco médio a alto.

Os riscos da mastectomia

Retirar as mamas sem que haja alguma doença diagnostica é uma decisão que deve ser tomada com bastante cuidado, pois além da cirurgia ser irreversível, a mulher pode sentir dificuldades em enfrentar a mudança da imagem corporal. Além disso, existem riscos cirúrgicos, como o de sangramentos e infecções.

O aspecto da paciente mastectomizada pode melhorar com uma cirurgia reparadora. (Foto: divulgação)

Angelina Jolie faz cirurgia e retira os dois seios. Saiba mais.

A mastectomia é uma cirurgia radical que pode ser indicada como medida preventiva em situações bastante específicas. Essa intervenção cirúrgica ganhou destaque recente na mídia mundial, após a atriz Angelina Jolie ter se submetido ao procedimento. Após saber mais sobre o assunto, converse com seu ginecologista para sanar o restante das dúvidas.

Top