Mamadeiras e chupetas sem bisfenol A

Desde 2011, um projeto de lei do senador Gim Argello (PTB-DF), no qual proíbe o uso de bisfenol A (BPA) na fabricação de chupetas…

Mamadeiras com bisfenol foram proibidas em 2011 (Foto: Divulgação)

Desde 2011, um projeto de lei do senador Gim Argello (PTB-DF), no qual proíbe o uso de bisfenol A (BPA) na fabricação de chupetas e mamadeiras, além da comercialização em solo nacional dos itens infantis mencionados que possua a substância. Os itens estocados pelas companhias que contém o composto em sua composição foram comercializado até o dia 31 de dezembro de 2011.

A determinação que não permite o uso da substância em chupetas e mamadeiras baseia-se em um estudo recente que aponta o BPA como um material prejudicial à saúde. As crianças que possuem de 0 a 12 meses são as maiores vítimas, isso porque no primeiro ano de vida os pequenos não são capazes de eliminar de seus organismos substâncias tóxicas.

As chupetas com a substância também foram proibidas (Foto: Divulgação)

Quando a mamadeira é aquecida o risco aumenta, pois o bisferol A é liberado em uma quantidade maior. O BPA possui uma estrutura química similar ao estrógeno, hormônio feminino, que anos mais tarde pode influenciar na antecipação da puberdade. Por enquanto, o mercado brasileiro possui cerca de 90 dias após a publicação no Diário Oficial (o que ainda não aconteceu), que oficializa a lei em território nacional, para adequação total. Enquanto isso, você pode comprar mamadeiras de vidro ou de polipropileno.

O BPA é proibido em diversos estados do EUA, além do Canadá e Costa Rica, justamente por poder fazer mal as crianças. Por isso, leia a embalagem da mamadeira antes de comprá-la. O mesmo vale para as chupetas, que geralmente possuem uma quantidade menor da substância, mas oferece riscos da mesma forma. Se não tiver visível na embalagem a informação de o item tem ou não bisfenol A, procure o fabricante para ter uma confirmação antes de comprar o produto.

Os especialistas indicam o uso de mamadeiras de vidro (Foto: Divulgação)

Os grande fabricantes do ramo prometem ter produtos no mercado nacional sem o BPA até meados de 2012, enquanto isso, opte por mamadeiras de vidro e no caso das chupetas busque saber qual fabricante usa menos besfenol A na produção do item. Com crianças todo cuidado é pouco, pois elas ainda não possuem um bom sistema de defesa do organismos, e pode parecer exagero, mas algumas atitudes podem garantir uma boa saúde dos pequeninos.

Leia Também:  Produtos para bebês Ricardo Eletro

Top