Mal de Alzheimer a importância do diagnóstico

Mal de Alzheimer a importância do diagnóstico é o tema da matéria a seguir, na qual vamos comentar a respeito dessa doença que atinge cerca…

Mal de Alzheimer a importância do diagnóstico é o tema da matéria a seguir, na qual vamos comentar a respeito dessa doença que atinge cerca de 1,2 milhão de pessoas no Brasil, de acordo com estimativas da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz).

Mal de Alzheimer

Mal de Alzheimer a importância do diagnóstico (Foto Ilustrativa)

Mal de Alzheimer

Doença que, na maioria dos casos, começa a se manifestar a partir dos 60 anos de idade, o Mal de Alzheimer não tem cura conhecida, pelo menos até o momento. Mas quanto mais cedo ela for diagnosticada, mais fácil se torna o tratamento, permitindo adiar o aparecimento dos problemas que ela traz, levando o paciente a ter uma vida melhor.

Setembro é considerado o mês mundial de conscientização do Mal de Alzheimer e, em todo o Brasil, têm sido realizadas várias campanhas nesse sentido. O objetivo é mostrar à população a importância do diagnóstico prematuro da doença, já que segundo a Abraz, metade das pessoas acometidas nem sabem que estão doentes.

Fases do Mal de Alzheimer

Importância do diagnóstico

Mal de Alzheimer é uma doença progressiva, que faz com que a pessoa perca a memória gradualmente, assim como a capacidade de se orientar no tempo e no espaço, deixando a vítima bastante confusa.

tratamento alzheimer

As pessoas acometidas pela doença acabam ficando muito dependentes (Foto Ilustrativa)

Além disso, a pessoa começa a apresentar dificuldades de comunicação e raciocínio lógico, e começa a ter alterações no comportamento, situações que podem tornar o convívio complicado, especialmente nos casos das vítimas com idades mais avançadas. Alguns dos principais fatores de risco para o Mal de Alzheimer são a falta de estimulação cognitiva na meia idade e a baixa escolaridade.

Entre as formas de prevenir o Mal de Alzheimer vale destacar a tomada de atitudes que fazem bem para o coração, como o controle do colesterol, da diabetes e da pressão alta; a prática regular de atividades físicas; o controle do peso; e a opção por uma alimentação saudável e balanceada.

Como evitar o Mal de Alzheimer

É que tais atitudes também são ótimas para o cérebro, o principal órgão afetado pela doença, aumentando a sua proteção.

Os sintomas do Mal de Alzheimer

Quem tem idosos na família precisa ficar atento aos sintomas do Mal de Alzheimer. Normalmente, o paciente começa a ficar repetitivo, esquece compromissos, não se lembra de onde guardou objetos, repete histórias como se não as tivesse contado antes e se atrapalha em trajetos que eram familiares.

Sua causa pode ser por:

  • Herediatariedade
  • Infecções do cerebro
  • Infecções das meninges
  • Exposição por metais
  • Intoxicações por metais

Essa doença se manifesta lentamente, mas progressivamente, ela pode levar mais de 10 anos.As mulheres são mais afetadas, após 85 anos. Ela tem três fases, a inicial, intermediária e avançada aonde os sinais e sintomas são:

Fase Inicial:

  • Dificuldades para lembrar nomes e palavras
  • Diminuição nas atividades da vida diária
  • Esquecimentos
  • Distração
  • Perdido em ambiente familiar

Fase intermediária:

  • Perda da habilidade motora aprendidas
  • Tendência a fugir de casa
  • Perambula pela casa
  • Dificuldade para falar
  • Depressão
  • Anorexia
  • Agressão verval
  • Perda das habilidades matemáticas
  • Insônia
  • Delírios
  • Comportamento psicótico
  • Impaciência
  • Frustação
  • Inquetação
  • Inicio da perda do controle da bexiga

Fase Avançada

  • Perda sensitiva
  • Dificuldade para engolir alimentos
  • Bradicinesia
  • Marcha arrastada
  • Perca  da sensibilidade
  • Alteração postural
  • Enrijecimento das articulações

10 alimentos que reduzem pela metade risco de Alzheimer

Caso esses comportamentos se tornem um padrão frequente, é fundamental levar o idoso para uma avaliação no neurologista ou geriatra.

Tratamento

É feito através de medicamentos como, haldol, neozine, neuleptil, risperidona, melleril, que são calmantes e neurolépticos e o Ampacina que já tem seus estudos avançados para tratar pacientes com perca de memória e atenção. Usa também antidepressivos, ansiolíticos, antipsicóticos. Um profissional de fisioterapeuta pode auxiliar através do trabalho com o sistema motor, onde irá fazer com que a qualidade de vida desse paciente melhore.

Tendo como objetivo a melhora do paciente será feito um tratamento voltado a fazer com que haja a diminuição a progressão da doença, diminuição nas complicações e deformidade, mantendo suas capacidades funcionais, mantendo sua amplitude de movimento, orientando postura corretas, treinando padrão da marcha, evitando atrofias por desuso e fraqueza muscular, evitando contraturas musculares e encurtamento musculares, mantendo sua independência funcional nas suas atividades da vida diária.


Top