Lugares para conhecer na Jordânia

A Jordânia é um mosaico de culturas, tendo sido habitada por povos antigos como os amorreus, amonitas, edomitas, moabitas e nabateus. Durante os próximos…

A Jordânia é um mosaico de culturas, tendo sido habitada por povos antigos como os amorreus, amonitas, edomitas, moabitas e nabateus. Durante os próximos anos, o país foi sendo invadido por mais povos: egípcios, assírios, persas, gregos, romanos, árabes muçulmanos, cruzados cristãos e turcos otomanos. Por assimilar as culturas de todos esses povos, a cultura jordaniana é tão rica.

Localizada no Oriente Médio, fazendo fronteira com a Síria ao Norte, com o Iraque ao Noroeste, com a Arábia Saudita ao Leste e ao Sul e com Israel ao Oeste, a Jordânia é um país muito acolhedor e estável.

Existem 3 grandes áreas que dividem o país: o vale fértil do rio Jordão, os grandes planaltos onde estão a maioria das cidades e o deserto, localizado na parte oriental.

Atualmente, a Jordânia é uma monarquia constitucional governada pelo rei Abdulah, legalmente conhecida como Reino Hachemita da Transjordânia. Até 1918, o país fazia parte do Império Turco Otomano, quando as suas fronteiras foram demarcadas para obedecer ao acordo sobre a Palestina. Desse modo, o país passou ao domínio britânico, até 1946, quando se tornou um estado independente.

A grande maioria da população jordaniana é de origem árabe, mas também há armênios e casucásos. Por isso, a religião dominante é a muçulmana sunita, com uma pequena presença de comunidades xiitas e cristãs.

A Jordânia é um país que esconde muitas maravilhas e, por isso, há inúmeras atrações turísticas oferecidas por esse país. Para tanto, é preciso reservar, no mínimo, 10 dias. Veja os lugares para conhecer na Jordânia:

Amã

A capital da Jordânia oferece um incrível contraste entre o novo e o antigo. No centro da cidade, é possível encontrar hotéis luxuosos, restaurantes distintos, galerias de artes e boutiques misturados a cafeterias tradicionais e pequenas oficinas de artesãos.

A cidade possui muitas ruínas deixadas pelos romanos no seu centro histórico, onde está o teatro romano construído no século II com capacidade para 6 mil pessoas. No Museu Arqueológico Nacional, há uma grande coleção de antiguidades que vão desde a Pré-História até o século XV. Além das ruínas romanas, a cidade é infestada pela arquitetura bizantina e a muçulmana.

Vale do Jordão e Mar Morto

Uma das paisagens mais fantásticas do mundo, o Vale do Rio Jordão e o Mar Morto são constantemente visitados por centenas de milhares de turistas em busca da sua beleza e das suas propriedades medicinais. Esse enorme prolongamento de água que é o Mar Morto, é localizado na parte mais baixa à superfície da terra. Por isso, vários rios deságuam nele, incluindo o Rio Jordão. Chegando lá, as águas ficam presas por terra à sua volta, sem conseguir escapar. Então, a água é evaporada e os sais minerais ficam depositados nesse lugar, servindo à indústria, à agricultura e à medicina.

Alguns historiadores julgam que 5 cidades bíblicas foram acolhidas naquele local: Sodoma, Gomorra, Adman, Zebouin e Zoar.

Wadi Rum

Wadi Rum é a parte desértica da Jordânia. Com paisagens esculpidas pelo vento, esse local chama a atenção de muitos turistas, principalmente pela imponência das suas escarpas rochosas monolíticas que chegam a 1750 metros de altura. Wadi Rum é muito visitada por pessoas que pretendem meditar, pois os seus imensos vazios fazem com que reflitamos sobre a vida, com muita paz e tranquilidade.

Jerash

Os homens chegaram à Jerash há 6500 anos, tendo sido dominada pelos romanos a partir de 63 a.C. pelo General Pompeu, fazendo parte da Liga de Decápolis. Hoje, a cidade é conhecida como uma das cidades romanas mais preservadas do mundo. Por muitos séculos, a cidade ficou enterrada nas areias jordanianas. Somente há 70 anos, as escavações começaram a ser feitas. Então, foram encontrados teatros, praças, banhos, fontes e muralhas romanas.

Apesar dessa forte presença romana, Jerash também mantém a sua cultura oriental. Assim, as duas culturas coexistem em paz, assim como o velho e o novo. O centro da cidade fica à leste das ruínas, e a população as mantêm intocadas por conhecerem o seu valor.

Petra

Petra é uma das Maravilhas do Mundo e deve ser obrigatoriamente visitada por quem for à Jordânia. É uma vasta cidade esculpida em rochas pelos Nabateus, povo árabe que se fixou na região há 2000 anos.

Para entrar na cidade, é preciso passar pelo “Siq”, um estreito com mais de 1 quilômetro de comprimento, com penedos de 80 metros nas suas laterais. As formações rochosas e as cores das pedras impressionam qualquer pessoa. Ao final do “Siq”, encontra-se o Al-Khazneh (Tesouro).

Realmente, Al-Khazneh é um tesouro que mede 30 metros de largura por 43 de altura. A sua fachada é linda, com um rosa poeirento. Ele foi esculpido para ser o túmulo de um rei nabateu no século I.

Para conhecer toda a cidade de Petra detalhadamente, são necessários de 4 a 5 dias, pois há centenas de túmulos esculpidos nas rochas, um teatro romano, obeliscos, templos, altares para ofertas de sacrifícios, ruas com colunatas, além do impressionante Mosteiro Ad-Deir, com seus 800 degraus esculpidos em pedra.

Para quem gosta de História, Petra tem dois museus: o Museu Arqueológico de Petra e o Museu Nabateu de Petra.

A Jordânia realmente é um país lindo e com muitos tesouros escondidos para se conhecer. Por isso, marque já as suas férias e programe a sua viagem para a Jordânia. Saiba que as melhores estações para se visitar o país são o outono e a primavera. Na hora de fazer as malas, coloque, além de muitas roupas de calor, algumas de frio também, pois no deserto, as noites são geladas. Viaje à Jordânia e enriqueça a sua cultura.

Boa viagem!

Top