Lista de compras para quem mora sozinho

Definitivamente as empresas não costumam ajudar quem mora sozinho. As embalagens tradicionais possuem itens demais, que dependendo dos casos acabam estragando, já as que…

Escolha embalagens com quantidades adequadas ao seu consumo (Foto: Divulgação)

Definitivamente as empresas não costumam ajudar quem mora sozinho. As embalagens tradicionais possuem itens demais, que dependendo dos casos acabam estragando, já as que são feitas, teoricamente, para quem consome menos custam quase o mesmo preço do que os itens que oferecem mais produtos, ou seja, você compra mais do que efetivamente consome, o que é um desperdício de qualquer forma.

Um meio de não gastar mais dinheiro ou de não deixar que os itens comprados estraguem, é planejar o que deve ser adquirido. O primeiro passo exige que uma lista de compras seja realizada. Adicione nessa relação tudo o que você precisa para passar o mês, como produtos de higiene e alimentação. Essa primeira parte do processo de compras é igual para todos independente do tamanho da família, ou da quantidade de pessoas que moram em um mesmo lugar. A listra existe para que você não saia por aí comprando coisas desnecessárias por impulso ou que esqueça de comprar algo importante.

Faça uma lista de compras com tudo que está faltando na sua casa (Foto: Divulgação)

A segunda parte da relação “do que comprar” exige observação. Para saber se compensa pagar um pouco mais caro e levar uma embalagem menor ou se é melhor comprar mais e pagar menos (a pesar de parecer óbvio), é preciso levar em consideração as quantidades de cada produto é que é utilizada mensalmente. Por exemplo, no caso de alimentos, ao comprar um pacote de arroz de 5 Kg uma pessoa demora quanto tempo para consumi-lo? Da última vez que você comprou essa embalagem o produto estragou? Se a resposta para a segunda questão for “não” significa que foi mais viável comprar uma embalagem maior.

Aproveite promoções de enlatados e congelados se gostar de consumi-los (Foto: Divulgação)

Se for um produto perecível, que o consumo não é tão grande, o melhor é adquirir em menor quantidade. As carnes são um bom exemplo. Não adianta comprar uma embalagem grande para estragar dias depois na geladeira. Nesse caso o mais prudente é comprar aos poucos, aproveitando as promoções. O mesmo vale para os enlatados e comidas congeladas, que muitas vezes são mais caras do que se a pessoa preparasse o alimento, porém, a praticidade do item industrializado é maior.

Leia Também:  Alimentos que ajudam no desempenho do Enem 2015

Observando todos esses pontos, será mais fácil montar uma lista de compras dentro da sua realidade, onde você irá economizar e otimizar o seu poder de compra. E para continuar economizando, cozinhe o necessário para no máximo duas refeições, o que evita desperdício de comida, além disso, continua observando as embalagens dos itens, pois pode ser que o seu perfil de consumo mude com o tempo.

Top