Liraglutida Victoza: Medicamento – Novo Emagrecedor

Quem está interessado em emagrecer e sempre gosta de conferir as últimas novidades na luta contra a balança deve ter ficado curioso a respeito…

Quem está interessado em emagrecer e sempre gosta de conferir as últimas novidades na luta contra a balança deve ter ficado curioso a respeito de um medicamento que ganhou destaque nos últimos dias. A sua última incursão na mídia brasileira fez com que ele ganhasse status de celebridade, quando foi capa da revista Veja (nº 36, de 07/09): e claro, a despeito de toda festa é sempre bom saber o máximo a sobre o assunto.

O novo medicamento da vez é a liraglutida, mais conhecida como Victoza, que é o seu nome comercial. De acordo com a revista, trata-se de um antidiabético, remédio injetável de aplicação diária produzido pelo laboratório dinamarquês Novo Nordisk. Ela foi lançada na Europa em 2009, nos Estados Unidos em 2010 e ao Brasil há poucos meses.

Originalmente o seu consumo é destinado ao tratamento do diabetes tipo 2. Porém, ele vem sendo receitado também para emagrecimento, mesmo este atributo não constando no rótulo e nem tendo eficácia regulada para tal uso.

Como funciona o medicamento?

A liraglutida, ou Victosa funciona imitando a ação do hormônio GLP-1 que está diretamente ligado ao mecanismo de saciedade e também a produção de insulina pelo pâncreas. O diferencial neste caso é que o GLP-1 sintético circula no organismo em quantidade 8 vezes superior ao hormônio natural e com uma duração do efeito que se estende a 24 horas, sendo que o natural dura por 3 minutos. Isso faz com que a sensação de saciedade dure muito mais e pode levar a um emagrecimento de sete quilos em até cinco meses.

Quanto ao fato de o remédio ser originalmente um antidiabético, a estimulação do pâncreas acontece somente se os níveis de açúcar do sangue estiverem superiores ao limite. Para os especialistas ouvidos pela revista Veja e pelo IG Saúde, isso elimina o risco de sobrecarga do órgão para quem não é portador do diabetes tipo 2.

Leia Também:  Risoto de calabresa

Efeitos colaterais:

Os efeito colaterais também são animadores e comparação com outros previstos em outros remédios. Se muitos pacientes não podem fazer uso dos medicamentos tradicionais devido a risco cardíaco e psiquiátrico,  de acordo com dados oferecidos pela Veja, um estudo publicado no International Journal of Obesity demostrou que a liraglutida não faz mal ao coração e provocou baixas na pressão arterial.

A boa notícia é que o seu modo de agir não interfere na química cerebral, mas apenas imita algo já naturalmente presente no organismo. Até o momento, pacientes que fazem uso da substância declararam sentir náuseas e dores de cabeça durante as primeiras semanas. Já em matéria do IG Saúde, são citadas reações como hipoglicemia, prisão de ventre, tontura, rinite, sinusite, dores de cabeça, estômago, costas, infecção do trato urinário, além de inchaço ou vermelhidão no local da injeção.

Precauções:

É importante que os interessados não se empolguem muito. De acordo com a Veja, o laboratório responsável por sua produção já entrou com pedido junto as autoridades competentes em busca de aprovação para o uso da liraglutida como emagrecedor.

O medicamento está passando por testes para comprovar sua eficácia e segurança ao paciente, mas é importante saber que, segundo informações do IG Saúde, sua recomendação não deve estar associada ao motivo estético, mas sim àqueles que precisam emagrecer por razões de saúde.

Para especialistas ouvidos pelo site, o ideal é trabalhar a adesão dos pacientes a hábitos saudáveis independente do motivo que o leva a perder peso. Todos os tratamentos que visam o emagrecimento devem promover esta cultura, mesmo que envolvam medicamentos receitados.

Até haver uma resposta adequada, você poderá consultar um endocrinologista para saber a respeito das possibilidades e de todas as informações pertinentes ao seu uso para perder peso. De qualquer modo, lembre-se de que a forma mais segura de emagrecer está em uma alimentação saudável e na prática de exercícios.

Leia Também:  Sinais de que algo está errado com a gravidez

Fontes:

Revista Veja, nº 36, 07 de setembro de 2011 – Menos sete, menos dez, menos 12 quilos.

IG Saúde: Medicamento para tratar diabetes é contraindicado para emagrecer

Aviso: Todo o material contido e escrito em nosso portal é coletado na internet. É extremamente recomendada a consulta à um profissional de saúde, antes de utilizar medicamentos ou fazer tratamentos contidos em nosso portal.

Top