Leucemia: óleo de peixe pode ser a solução para a cura da doença

Um composto originado do óleo de peixe pode ajudar a curar a leucemia, segundo um estudo divulgado no jornal Blood. O conteúdo conhecido como…

Por Editorial MDT em 29/12/2011

Imagem: (Foto Divulgação)

Um composto originado do óleo de peixe pode ajudar a curar a leucemia, segundo um estudo divulgado no jornal Blood. O conteúdo conhecido como D12-PGJ3 é competente para atacar e extinguir as células-tronco da leucemia mielóide crônica (LMC) em roedores examinados em laboratório.

A leucemia é um tumor que atinge as células brancas do sangue. O subtipo da doença analisado, a leucemia mielóide crônica, é avaliada como maligna e não curável com o uso de medicamentos. O único tratamento, atualmente, para cura da doença é o transplante de medula óssea.

Segundo um dos autores da pesquisa, estudos anteriores já haviam apontado que os ácidos graxos são benfeitores para o bem-estar do sistema cardiovascular e para o desenvolvimento do cérebro, sobretudo em crianças. “Demonstramos agora que alguns compostos desse ácido têm a habilidade de destruir seletivamente as células-tronco da leucemia em camundongos”, afirma Sandeep Prabhu.

As substâncias do ácido graxo eliminam as células-tronco cancerígenas tanto no baço quanto na medula óssea. Ele age acionado o gene p53, responsável por planejar a destruição da própria célula. “O gene p53 é um supressor de tumor que regula as respostas aos danos no DNA e mantêm a estabilidade genômica”, diz Prabhu.

A terapia recente para LMC prolonga a vida do indivíduo ao sustentar o número de células do câncer baixa, mas os medicamentos fracassam em concluir a cura, já que elas não possuem  como alvo as células-tronco da leucemia. O que resulta na dependência do paciente ao medicamento. “Se ele interrompe, a doença tem uma recaída, porque as células-tronco da leucemia são resistentes a essa droga” afirma Prabhu.

Pesquisa

Ao longo dos exames, os especialistas injetaram em cada roedor, cerca de 600 nanogramas de D12-PGJ3 diariamente, durante sete dias. Os testes apontaram que os roedores foram totalmente curados da enfermidade. O cálculo sanguíneo estava normal, e o baço voltou ao tamanho original. Nenhum deles tiveram recaída da enfermidade.

Atualmente os especialistas estão estudando se o composto pode ser utilizado em estágios terminais da leucemia. Hoje em dia não existem medicamentos disponíveis para tratar a doença quando avança para esse estágio.

Top