Justiça manda alunos desocuparem prédio da reitoria da USP em 24 horas

Nesta quinta-feira (3), a Justiça de São Paulo autorizou a reintegração de posse do prédio da USP, ocupado por alunos desde a quarta-feira, em…

Imagem: (Rahel Patrasso/AE)

Nesta quinta-feira (3), a Justiça de São Paulo autorizou a reintegração de posse do prédio da USP, ocupado por alunos desde a quarta-feira, em contrariedade à presença da Policia Militar no campus da universidade.

A decisão partiu da 9ª Vara da Fazenda Pública e o prazo para que os alunos deixem o prédio da reitoria é de 24 horas. De acordo com o texto da decisão da juíza Simone Gomes Rodrigues Casoretti, a reintegração deve ser realizada sem uso da violência, mediante presença de representantes dos ocupantes e da parte autora do pedido. Mas, autoriza como medida extrema o uso de força policial, embora ressalte esperar contar com o bom senso de ambos.

Para os ocupantes, o tema será discutido em assembleia, ainda hoje.

Entenda o impasse

A invasão da reitoria aconteceu quando os estudantes decidiram, em assembleia desocupar o prédio Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), ocupado desde o dia 27 de outubro. Na ocasião, os alunos da instituição enfrentaram a PM após três alunos serem detidos por porte de maconha.

A ocupação tem como objetivo pedir o fim do convênio da instituição com a Policia Militar, no patrulhamento do campus. O combinado foi firmado no mês de setembro, depois da morte do estudante Felipe Ramos de Paiva, em 18 de maio, atingido por disparos quando ia até seu carro, que estava em um estacionamento do prédio da Faculdade de Administração e Contabilidade (FEA). Na ocasião, dois homens foram presos e indiciados por crime de latrocínio. Segundo a reitoria da USP, o convênio não deverá ser revisto.


Top