Jovens fumantes passivos tem dificuldade em proteger pulmões

Uma pesquisa realizada pelo Centro Monell, nos Estados Unidos, revelou que os jovens fumantes passivos apresentam dificuldades para proteger os pulmões. Desta forma, as…

Por Isabella Moretti em 23/08/2012

Uma pesquisa realizada pelo Centro Monell, nos Estados Unidos, revelou que os jovens fumantes passivos apresentam dificuldades para proteger os pulmões. Desta forma, as crianças que são expostas frequentemente a fumaça do cigarro entram em contato com compostos químicos que agridem o organismo e podem desencadear doenças. Os resultados do estudo foram publicados no periódico Nicotine & Tobacco Research desta semana.

Fumantes passivos podem desenvolver infecções respiratórias por causa da exposição à fumaça do cigarro. (Foto:Divulgação)

Quando os fumantes passivos deixam de tossir

De acordo com os autores do trabalho, as crianças e adolescentes que são vítimas do fumo passivo chegam a um ponto que não conseguem tossir em resposta aos agentes agressores. A tosse é um recurso que protege os pulmões e, sem ela, o corpo fica vulnerável a poluição, poeira e outras substâncias que agridem o trato respiratório, podendo desenvolver sérias infecções.

Para comprovar os danos que a fumaça do cigarro causa aos pulmões, os pesquisadores avaliaram 38 jovens saudáveis, com idade entre 10 e 17 anos. Os voluntários tiveram que inalar concentrações de capsaicina, uma substância presente na pimenta responsável por irritar as vias aéreas.

Saiba mais: Perigos enfrentados pelos fumantes passivos

Pesquisa comprovou que jovens acostumados com a fumaça do cigarro tossem menos. (Foto:Divulgação)

Depois de observar o comportamento dos jovens durante a inalação, os autores do trabalho descobriram que os participantes que conviviam com a fumaça do cigarro precisaram do dobro da quantidade de capsaicina para tossir pelo menos duas vezes, em comparação com aqueles que não eram fumantes passivos.

Segundo Julie Menella, uma das autoras da pesquisa, a tosse é um reflexo importante para evitar o contato do pulmão com a fumaça do cigarro, caso contrário o sistema respiratório é ainda mais danificado pelas partículas tóxicas. A bióloga ainda afirmou que os fumantes apresentam menos sensibilidade aos componentes que irritam as vias aéreas, em comparação a aqueles que não fumam.

Além de comprovar o risco de infecções respiratórias, o estudo também revelou que os fumantes passivos possuem mais chances de se tornarem tabagistas em algum momento de suas vidas, afinal, a ‘insensibilidade’ no contato com as substâncias toxicas da fumaça torna a experiência de fumar menos desagradável.

Como o cigarro prejudica o fumante passivo?

A fumaça do cigarro afeta a saúde das pessoas, podendo causar bronquite, pneumonia e outras doenças. (Foto:Divulgação)

Ao inalar a fumaça do cigarro, o indivíduo pode comprometer a saúde dos seus pulmões e desenvolver doenças respiratórias, como bronquite e pneumonia. O tabagismo passivo também pode causar dores de cabeça, irritação nos olhos, náuseas, coriza, sinusite, problemas de audição, asma e até mesmo câncer.

Veja também: O Cigarro e os problemas respiratórios em crianças

Top