Investir na bolsa de valores: passo a passo para começar

A participação das pessoas físicas na Bolsa de Valores tem crescido consideravelmente. Entre janeiro e março, o número de investidores foi de 583.527 para…

A participação das pessoas físicas na Bolsa de Valores tem crescido consideravelmente. Entre janeiro e março, o número de investidores foi de 583.527 para 587.797. Mesmo com o mercado de ações movimentado, a participação das pessoas físicas ainda é pequena diante dos outros investidores.

Antes de investir na bolsa, é preciso conhecer o mercado de ações. (Foto:Divulgação)

Saiba mais: Como investir na Bolsa de Valores

Começar a investir na bolsa

A bolsa de valores pode se transformar em um ótimo lugar para multiplicar o dinheiro, desde que o investidor saiba gerenciar as suas aplicações. Quem pretende comprar e vender ações precisa ter noções básicas sobre este competitivo mercado.

Antes de adquirir as ações de uma empresa, o investidor deve calcular os riscos, elaborar um plano principal e também elaborar um plano B, casos surjam imprevistos nos negócios.

A bolsa de valores não vai gerar lucros para o investidor do dia para a noite. Por isso, é recomendado permanecer no mínimo um ano para superar as limitações sazonais. Também é recomendado investir no máximo 35% da capacidade financeira.

Para investir na bolsa de valores, é preciso calcular os riscos. (Foto:Divulgação)

Passo a passo para investir na bolsa de valores

Acompanhe a seguir o passo a passo para começar a fazer investimentos na bolsa:

1. Primeiro o investidor deve abrir uma conta em uma corretora. Ela deve ser autorizada pela Bolsa e operar no mercado de ações. Ao escolher uma empresa intermediadora, é importante comparar as taxas cobradas e os serviços oferecidos.

Para fazer a abertura de conta, a corretora solicita comprovante de residência, RG, CPF e a assinatura de um termo de adesão. Ela tem o dever de orientar o cliente e informá-lo sobre os novos produtos;

2. O investidor precisa transferir o dinheiro para a conta da corretora e escolher uma empresa para destinar as suas aplicações. Antes da ordem de compra ser executada, é necessário verificar o custo da operação;

3. O portfólio de ações deve ser montado aos poucos, sem pressa. É importante diversificar os investimentos para diminuir os riscos e aplicar dinheiro periodicamente;

É fundamental diversificar os investimentos. (Foto:Divulgação)

4. Se o pequeno investidor não tem recursos o suficiente para comprar ações, ele deve aplicar dinheiro nos fundos de índices (ETF-s), que contemplam as ações mais negociadas do mercado;

5. Os especialistas consideram os fundos ETF-s como a melhor porta de entrada porque a carteira de investimento é mais diversificada e diminui os riscos. Outra vantagem é a baixa taxa de administração, que custa apenas 0,5% ao ano;

6. Outra estratégia interessante para começar a investir na bolsa é apostar em índices que espelham o crescimento dos setores, como o imobiliário.

Veja também: Livros que ajudam a investir na bolsa de valores

Top