Investigação criminal contra o Telexfree: entenda Investigação criminal contra o Telexfree: entenda

Investigação criminal contra o Telexfree: entenda

A Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Decco) do estado do Acre instaurou um inquérito com o intuito de investigar se os sócios da…

Por Élida Santos em 28/06/2013

A Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Decco) do estado do Acre instaurou um inquérito com o intuito de investigar se os sócios da Telexfree cometeram crime contra a economia popular e lavagem de dinheiro, além de outros delitos. Essa é, ao menos, a segunda investigação criminal que envolve a companhia, que também está sob suspeita de ter criado um esquema de pirâmide financeira de grandes proporções no Brasil e no exterior.

MP do Acre investiga a Telexfree (Foto: Divulgação)

Telexfree agora é investigada pela esfera criminal do Acre

O Ministério Público do Acre (MP-AC), órgão que já está investigando a Telexfree na esfera civil, agora instaura inquérito policial, feito a pedido do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP-AC. Ou seja: a companhia agora está sob investigação da esfera criminal. A alegação da promotoria é de que se existe de fato a formação de uma pirâmide a Telexfree, em tese, cometeu crime contra a economia.

Telexfree não pode mais receber novos anunciantes (Foto: Divulgação)

Telexfree defende-se das acusações

A Telexfree tem sede no Espírito Santo (ES), e informa que é uma empresa que comercializa pacotes de telefonia por meio da internet (VoIP, na sigla em inglês) via meio de marketing multinível. No último dia 18 de junho, porém, a Justiça do Acre determinou a suspensão de pagamentos aos divulgadores e proibiu a entrada de novos associados na companhia, por suspeita de que a organização seja sustentada através de um esquema de pirâmide.

Como funcionava a Telexfree?

Os bens dos administradores da Telexfree no Brasil foram bloqueados, já que o MP-AC vai exigir a devolução do dinheiro a todos os divulgadores. Para que você entenda toda essa polêmica, vamos explicar como a companhia funciona: Para se associar a empresa é necessário compra, ao menos, um pacote, que custa em média R$ 800,00. Você passa a ter como obrigação a divulgação de banners na internet diariamente, em sites que a própria Telexfree te indica. A partir de um prazo de carência, você receberia de volta esses R$ 800,00 e todo mês teria o retorno dessa mesma quantia. Caso você convencesse mais pessoas a entrar no esquema, e pagar essa taxa, você receberia uma comissão mensal de acordo com o desempenho desse novo associado.

O modelo de trabalho simples fez com que muitas pessoas se associassem a companhia. Mas o que vem sendo debatido é o meio que a empresa se sustenta, pois se for somente com o dinheiro de novos sócios, a empresa atua com esquema de pirâmide.

Top