Infarto Precoce: Como Acontece?

Infarto Precoce: Como Acontece?

Na vida da correria, das grandes responsabilidade e estresses, todo cuidado com o coração e com a pressão arterial ainda será pouco para evitar…

Por Redacao em 01/12/2015

Na vida da correria, das grandes responsabilidade e estresses, todo cuidado com o coração e com a pressão arterial ainda será pouco para evitar o infarto precoce: como acontece?. A vida está exigindo demais de você. É trabalho para dar conta de forma muito competente, é trabalho, é filho, marido, vida pessoal. Ufa. Haja tantas resposabilidades. E o que sobra para você no final do dia é apenas a fadiga física e mental e na pior das hipóteses problemas de saúde como o infarto precoce.

Infarto Precoce Como Acontece (Foto: Divulgação)

Infarto Precoce Como Acontece (Foto: Divulgação)

Infarto Precoce: Como Acontece?

Atualmente a vida se tornou estressante e competitiva, o que acaba surtindo em efeitos negativos, ou seja, são os vilões do aumento da incidência de infarto precoce: como acontece? entre jovens. Pois é, infelizmente faz um bom tempo que não só os idosos como também as pessoas mais novas estão com sérios problemas de coração e de pressão.

Leia mais informações sobre: Menopausa precoce: sintomas, como tratar

Índice de infartos

É preciso se preocupar com a alimentação (Foto: Divulgação)

É preciso se preocupar com a alimentação (Foto: Divulgação)

Nos últimos anos, o índice de infarto do miocárdio em jovens teve aumento. Mas porque isso está ocorrendo? Antigamente pessoas acima de 60 anos eram as que mais sofriam do problema. Agora, homens acima dos 50 anos já apresentam o problema, se não houver histórico familiar agressivo. Já as mulheres ficam mais vulneráveis após a menopausa devido à falta de proteção hormonal, afirmam cardiologistas.

Os jovens com histórico na família, precisam iniciar a prevenção desde cedo por conta da tendência em desenvolver a doença, a alta incidência entre os mais jovens é reflexo do uso de drogas ou porque o filme está passando mais depressa, isto é, a vida está muito mais competitiva, o estresse é enorme, além do sedentarismo, fumo, alimentação irregular e, principalmente, a vida emocional.

Estado emocional influencia

Um dos fatores que deve ser considerado é o estado emocional. Quando se fala em infarto, a preocupação imediata recai sobre a hipertensão, os níveis elevados de colesterol e os malefícios do fumo.

É preciso acompanhar por meio de exames (Foto: Divulgação)

É preciso acompanhar por meio de exames (Foto: Divulgação)

Muitos não se dão conta dos efeitos negativos dos fatores emocionais sobre os males do coração. Esse tema tem sido abordado com destaque entre os profissionais, pois verificou-se que estados depressivos antecediam os infartos, sugerindo que, se a pessoa baixar a guarda, a probabilidade de um problema como este aumenta. Por isso, a depressão passou a ser vista como fator de risco tão importante quanto o colesterol, a pressão alta ou o cigarro.

Leia mais informações sobre: Vítimas de infarto podem apresentar stress pós-traumático

Fique atento

Não há como ninguém mais contestar a importância de estar em alerta quanto ao lado emocional dos pacientes, antes e depois do infarto, porque a depressão demora a sumir. Indivíduos que tiveram um infarto ou foram revascularizados necessitam de suporte psicoterápico e familiar, pois costumam evoluir melhor do que aqueles que não recebem cuidados e carinho das pessoas que os cercam.

Médico pode cuidar e ajudar o paciente (Foto: Divulgação)

Médico pode cuidar e ajudar o paciente (Foto: Divulgação)

A prevenção é sempre uma boa saída. Por isso, pratique bons hábitos, procure ter uma dieta adequada, invista em exercícios físicos, abandone o fumo, consuma bebidas alcoólicas com moderação e, principalmente, cuide da vida emocional. Assim, você fica longe do problema! Tenha amor a sua vida e passe a seu cuidar de forma mais acentuada e nunca esqueça de que vida a gente só tem uma – cuide bem dela.

Dicas para cuidar muito melhor da sua saúde: evite infartos

Top