Infarto: doença do novo século

Infarto: Doença do Novo Século Como o próprio nome diz, infarto do miocárdio é a morte de uma parte do músculo cardíaco (miocárdio), por…

Por Editorial MDT em 28/10/2011

Infarto: Doença do Novo Século

Como o próprio nome diz, infarto do miocárdio é a morte de uma parte do músculo cardíaco (miocárdio), por falta de sangue.

Com a modernidade adquirimos novos hábitos de vida. Acabamos ingerindo comidas mais gordurosas e menos naturais, trabalhamos mais, nos estressamos mais, no exercitamos menos, bebemos socialmente e, como consequência, temos o aumento dos casos de infarto agudo do miocárdio.

Como ocorre

Com o aumento do colesterol, o sedentarismo e o hábito alimentar inadequado, aumentamos as chances de se formarem trombos dentro dos nossos vasos sanguíneos. Esses trombos são massas de sangue coagulado que se formam devido a alguns fatores, principalmente, a presença de placas de gordura nas nossas artérias (chamadas placas de ateroma).

Ao formar o trombo, ele pode se deslocar do local onde foi gerado, então chamamos de êmbolo sanguíneo. Esse êmbolo vai pela corrente sanguínea e pode chegar até uma artéria do coração, que responsáveis por irrigar o coração com sangue, mantendo-o funcionando e oxigenado. Quando o êmbolo entope uma dessas artérias, o coração fica sem receber sangue e pode morrer (necrose).

Se a parte que a artéria irrigava for pequena, ocorre morte de uma pequena parte do coração e é possível manter a pessoa viva, porém, com complicações. Mas, existem casos que entope uma artéria que irrigava uma parte muito grande do coração, assim temos o infarto fulminante e não há o que fazer.

Mesmo quando o infarto não atinge grandes proporções do coração pode ser perigoso, pois o órgão pode entrar em arritmia (bater em ritmo errado ou tremer) e acabar parando. Depois de um infarto, o paciente terá de fazer acompanhamento com um cardiologista, constantemente.

Mesmo aqueles que sobrevivem a um episódio de infarto agudo do miocárdio, podem ter sequelas mais tardiamente. Acabam desenvolvendo arritmias crônicas ou insuficiência cardíaca, diminuindo muito sua qualidade de vida.

Fatores que favorecem o acontecimento do infarto

  1. Alimentação inadequada e rica em gorduras;
  2. Sedentarismo (não praticar exercícios físicos);
  3. Fumar;
  4. Estresse;
  5. História de câncer prévio;
  6. Doenças do sangue que aumentam a coagulação;
  7. Obesidade;
  8. Diabetes;
  9. Idade acima de 50 anos;
  10. Hipertensão arterial.

Sinais e sintomas

É importante ressaltar que nem sempre ocorrem todos os sintomas, muitas vezes, a dor pode estar irradiada, ou seja, em um local diferente como na mandíbula, no braço esquerdo ou mesmo não ocorrer dor. Os sintomas mais frequentes são:

  1. Dor no peito, do tipo aperto ou peso e que dura mais de 30 minutos;
  2. Suor frio;
  3. Tontura;
  4. Desmaio;
  5. Formigamento do braço esquerdo;
  6. Náusea e vômitos.

O que fazer para não ter infarto?

Com a modernidade temos muitos confortos, mas isso não tem nos trazido muitos benefícios. A melhor forma de evitar o infarto e muitas outras doenças é ter um habito de vida saudável.

  1. Evite fumar;
  2. Tenha uma alimentação balanceada com verduras e legumes;
  3. Evite alimentos fritos e prefira os assados;
  4. Não coma muita massa, pães e doces;
  5. Faça exercícios físicos diariamente. Uma caminhada de meia hora já traz benefícios;
  6. Tente relaxar um pouco todos os dias e se estressar menos;
  7. Mantenha a pressão arterial controlada. Não pare de utilizar seus medicamentos para pressão e vá com frequência ao cardiologista;
  8. Se estiver acima do peso, faça um regime saudável.

  Com a saúde não se brinca. Cuide. Ter um hábito de vida saudável traz muito mais benefícios do se pode imaginar, experimente.

Top