Indivíduos impacientes apresentam maior disposição ao endividamento

Indivíduos impacientes são mais predispostos a contrair dívidas, de acordo com uma análise realizada por economistas de Boston, nos Estados Unidos. A razão, de…

Imagem (Foto Divulgação)

Indivíduos impacientes são mais predispostos a contrair dívidas, de acordo com uma análise realizada por economistas de Boston, nos Estados Unidos. A razão, de acordo com o estudo, é que os impacientes escolhem gastar o dinheiro que auferiram para conseguir frutos imediatos a guardar para extinguir dívidas, como a hipoteca imobiliária. O estudo foi divulgado recentemente na revista científica Psychological Science.

A pesquisa contou com a participação de 437 moradores de Boston, todos de classe média ou média-baixa. Eles foram submetidos a um questionário no qual optavam entre gratificações menores, mas imediatas, ou maiores e mais demoradas. O Estudo foi realizado pelo Centro de Comportamento Econômico e Tomada de Decisões do Federal Reserve, o Banco Central Americano, os quais visam entender as causas psicológicas que ajudaram a desencadear a crise da dívida imobiliária.

 Quando os especialistas confrontaram as respostas com a pontuação de crédito (fundamentada em histórico pessoal de pagamento de dívidas e empréstimos) de cada participante, notaram que os que optam por gratificações imediatas possuem as menores pontuações. Uma baixa pontuação geralmente adverte problemas com créditos passados. “As pessoas acumulam dívidas e depois precisam decidir se usam o que ganham para pagar esses débitos ou para outra coisa”, afirma o economista Stephan Meier, da Universidade de Columbia. “A impaciência leva ao não pagamento das contas”, completa.

O especialista afirma que existem outras razões para o descumprimento, como a perda de emprego. “Mas há o calote estratégico, no qual as pessoas fazem uma análise de custo benefício disso”, afirma. São indivíduos que escolhem usar o dinheiro imediatamente e lidar com as dívidas no futuro.

Top