Índice glicêmico: pra que serve?

Muitas pessoas realizam sua dieta através da avaliação do índice glicêmico dos alimentos consumidos. Segundo especialistas, essa é uma das maneiras corretas de realizar…

Por Editorial MDT em 25/09/2012

Muitas pessoas realizam sua dieta através da avaliação do índice glicêmico dos alimentos consumidos. Segundo especialistas, essa é uma das maneiras corretas de realizar um regime. No entanto, poucas pessoas conhecem o real significado de índice glicêmico. Por isso, separamos algumas informações sobre o índice glicêmico e por que ele é avaliado.

Através da atividade física é possível prevenir o diabetes– saiba mais

Através do controle do índice glicêmico é possível perder peso. (Foto: divulgação)

Conhecendo mais sobre o índice glicêmico

O índice glicêmico (IG) é um sistema numérico que avalia o aumento dos níveis de açúcar no sangue, logo após o consumo alimentar, em especial, os riscos em carbonos (carboidratos). Dessa forma, quanto maior o valor glicêmico, maior será a curva de açúcar no sangue. De forma geral, essa curva é expressa a partir da avaliação da velocidade com que os hidratos de carbonos se convertem em glicose no corpo.

Cada alimento possui um índice glicêmico específico

A partir da avaliação dos índices glicêmicos de cada alimento, é possível conhecer sua taxa de glicemia. De maneira geral, os alimentos com baixo IG provocam um pequeno aumento da glicemia, já os com alto IG provocam um grande aumento da taxa glicêmica. Assim, através da avaliação do IG dos alimentos, é possível controlar a quantidade de alimentos com alto teor de glicemia, uma grande vantagem para os indivíduos portadores de diabetes, ou mesmo, os atletas.

Manter uma dieta equilibrada é essencial para uma vida saudável. (Foto: divulgação)

 Conhecendo mais sobre a carga glicêmica

Através da carga glicêmica (CG) é possível medir os efeitos glicemiantes da comida sobre o nosso organismo. Para que essa avaliação seja eficaz, é necessário levar em consideração o IG, somado ao tamanho da dose, em gramas, dos alimentos. Assim, para que o conhecimento sobre os efeitos dos hidratos de carbono seja real, é importante conhecer ambas as informações. Para que a compreensão se torne mais fácil, separamos alguns exemplos de alimentos acompanhados da sua carga glicêmica e índice glicêmico.

Maçã:  IG – 40 / CG – 6;

  • Melancia:  IG – 72 / CG – 4;
  • Bata assada – IG 85 / CG 26;
  • Arroz integral:  IG 50 / CG 16;
  • Cenoura: IG 92 / CG 5;
  • Cereal de milho: IG 92 /CG 24;
  • Sumo de laranja:  IG 50 / CG 13;
  • Bata frita:  IG 54 / CG 11;
  • Bolo industrializado:  IG 54 / CG 15.

Saiba como interpretar cada valor de alimento anteriormente citado:

  • Alto: IG >/= 70 e CG >/=20;
  • Médio: IG entre 56 e 69 e CG entre 11 e 19;
  • Baixo: IG </= 55 e CG </= 10.

    O índice glicêmico está associado a quantidade de alimentos consumidos ricos em hidratos. (Foto: divulgação)

Para que o nosso organismo obtenha a energia necessária, é essencial que o nosso corpo converta os hidratos de carbono em glicose. Assim, o IG reflete a facilidade que o corpo tem em fazer essa transformação. Como foi visto anteriormente, quanto maior o IG, maior a taxa glicêmica e mais problemas o organismo poderá ter. A melhor forma de evitar futuras consequências é realizando uma alimentação equilibrada e rica em frutas, vegetais e cereais.

Leia também – A insatisfação com o corpo afeta mulheres com mais de 50 anos.

Top