Inalador de insulina pode substituir injeções

A insulina é uma substância responsável por reduzir a glicemia. No entanto, quando a sua produção pelo organismo é insuficiente, o indivíduo precisa aplicar…

A insulina é uma substância responsável por reduzir a glicemia. No entanto, quando a sua produção pelo organismo é insuficiente, o indivíduo precisa aplicar injeções contendo a dose adequada da proteína.

As injeções de insulina estão com os dias contados. (Foto:Divulgação)

Incluir aplicações de insulina na rotina é bastante complicado, principalmente para quem não tem o costume e não gosta de injeções. Para resolver o problema, uma empresa farmacêutica americana desenvolveu um inalador de insulina, muito mais prático e fácil de usar.

O inalador de insulina da Mannkind

A Mannkind, empresa do ramo farmacêutico criou um inalador de insulina chamado Afrezza. O produto começará a ser comercializado nos Estados Unidos a partir do segundo trimestre de 2014.

Para chegar ao mercado americano, o Afrezza necessita apenas da aprovação da FDA (agência que controla remédios e alimentos nos EUA), que será anunciada ou não no próximo ano.

O novo inalador de insulina é uma criação da Mannkind . (Foto:Divulgação)

Os fabricantes afirmam que o inalador de insulina passou por vários testes e praticamente todos apresentaram resultados positivos. O produto tem demonstrado bom desempenho na tarefa de substituir as canetas injetoras de insulina, que são usadas diariamente pelos diabéticos.

A Mannkind acredita que as pessoas com diabetes vão preferir inalar a insulina a aplicar as injeções. O novo método é muito mais fácil e indolor.

Para inalar a insulina é muito simples, basta usar um pequeno inalador, chamado “Dreamboat”, de 12 a 14 minutos. O método deve ser realizado sempre antes das refeições, pois assim a insulina atinge os seus níveis de pico no organismo.

O inalador de insulina da Mannkind chegará ao mercado americano com o mesmo preço das injeções, ou seja, 2 000 dólares anuais. O seu design é compacto e comportado, ou seja, cabe na palma da mão.

O Afrezza é compacto e fácil de usar. (Foto:Divulgação)

O Afrezza não é novidade

O inalador de insulina da Mannkind não é uma completa novidade no mercado. Um produto semelhante já foi desenvolvido e aprovado nos EUA, mas há contestações sobre sua eficácia. A agência de saúde britânica, por exemplo, não recomenda o uso.

Leia Também:  Máscaras faciais: descubra seus principais benefícios

O Exubera, inalador de insulina da empresa farmacêutica Pfizer, foi retirado do mercado em 2007, dois anos após o seu lançamento. O fabricante tomou esta decisão em virtude da falta de aceitação do público.

Um dos principais motivos para os diabéticos não aderirem ao inalador foi o preço. O produto da Pfizer era muito mais caro do que as injeções de insulina. Por causa do seu tamanho exagerado, semelhante a um tubo de bolas de tênis, o medicamento também não permitia um uso discreto e prático.

No Brasil, o inalador de insulina da Pfizer foi comercializado por menos de um ano, afinal, chegou ao mercado em maio de 2007.

Top