Inadimplência do consumidor tem queda depois de 6 meses em alta

A inadimplência do consumidor tem a primeira queda após seis meses de alta, caindo exatos 3% no mês de setembro comparado ao mês de…

A inadimplência do consumidor tem a primeira queda após seis meses de alta, caindo exatos 3% no mês de setembro comparado ao mês de agosto, segundo dados do Indicador Serasa Experian, divulgados nesta sexta-feira (14).

Os economistas do Serasa afirmaram ainda que a queda foi puxada por todas as modalidades estudadas. As dívidas não bancárias, que se  traduzem em cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços (telefonia, água, luz, etc.) registraram queda de 3,3%. Cheques sem fundos caíram 10,3%; dívidas com os bancos recuaram 0,9% e os títulos protestados, 13,9%.

A inadimplência do consumidor desacelerou e registrou alta de 23,3% em nível anual. As dívidas não bancárias diminuíram em 14,8% comparado ao mesmo período do ano passado. Já os títulos protestados, os cheques sem fundos e as dívidas com os bancos, apresentaram alta de 14,9%, 7,9% e 0,6%, respectivamente.

Acredita-se, de acordo com as opiniões de economistas, que a antecipação do 13° salário aos aposentados, bem como a redução dos juros e a menor quantidade de dias úteis, contribuíram para que a inadimplência do consumidor diminuísse em setembro. Outro fator essencial também foi a facilidade concedida pelos credores para renegociação de dívidas, que fez com que muitos aceitassem os novos acordos.

“Também contribuiu para o declínio do índice a maior facilidade oferecida pelos credores ao consumidor para renegociar dívidas”, disse a Serasa, por meio de nota.

Top