Impressões sobre a primeira semana de Rock in Rio 2011

A 1ª semana de Rock in Rio foi marcada por três dias de shows, com atrações que surpreenderam ou mesmo decepcionaram o público. A…

Por Isabella Moretti em 26/09/2011

A 1ª semana de Rock in Rio foi marcada por três dias de shows, com atrações que surpreenderam ou mesmo decepcionaram o público. A programação se revelou bem flexível para atender todos os gostos, indo do Pop, passando pelo Rock e finalizando com chave de outro através das bandas de metal.

O Rock in Rio 2011 levou meses para ser planejado e conseguir alcançar as expectativas do público. O festival voltou para o Rio de Janeiro com força total e recebeu milhares de pessoas ao longo dos dias 23, 24 e 25 de setembro. A programação não se limitou apenas aos shows, mas incluiu outras atrações que nunca antes estiveram presentes na história do Rock in Rio. Dez anos após a sua última edição no Brasil, o festival conseguiu despertar diferentes sensações para quem marcou presença nos primeiros dias.

23 de setembro – dia do Pop

O primeiro dia de atrações do Rock in Rio contou com a presença das maiores bandas de Rock no Brasil, Os Paralamas do Sucesso, e Titãs, que fizeram um show empolgante, cantando hits das duas bandas, e ainda contaram com a participação especial de Milton Nascimento, e da cantora Maria Gadu. As duas bandas juntas não era tão empolgante assim para a multidão, entretanto a energia de ser a primeira banda a tocar no palco Mundo dava a sensação de “inicio” para o evento, o que ajudou para a animação da platéia.

A cantora de axé/pop Claudia Leitte entrou no palco mundo e recebeu mais de um minuto seguido de vaias, porém a baiana preparou um verdadeiro espetáculo para os presentes no festival com direito a acrobacias suspensas no ar, dueto permitido pela tecnologia com o cantor Ricky Martin, no entanto, não era bem o que a multidão queria assistir.

A cantora Katy Perry foi uma das atrações mais esperadas da noite, e apesar de não ser uma estrela do Rock, ela empolgou a platéia com uma bela apresentação, interagindo com o publico e cantando seus principais hits, como “Hot N’ Cold”, “Firework” e “I Kissed a Girl”. Após a platéia formar um coral dizendo que a amava, Katy Perry declarou emocionada, que este era o melhor show de sua vida.

Os 64 anos de Elton John não pesam quando o assunto é palco, o cantor emocionou a platéia com seus clássicos e até mesmo quem não conhecia o trabalho do cantor ajudou a animar a apresentação, com muita energia. E para encerrar a noite, a cantora Rihanna subiu ao palco as 2h30, e não teve jeito, o cansaço do publico era evidente, muitos dormiam enquanto a apresentação da musa acontecia. Em alguns momentos Rihanna levantou o publico, ao tocar seus hits, entretanto a apresentação deixou a desejar.

24 de setembro – dia do Rock

Depois de um agitado e conturbado primeiro dia de festival, o segundo foi realizado na Cidade do Rock com a segurança reforçada. Durante a tarde, as apresentações do Palco Sunset contagiaram o público, composto por pessoas de todas as partes do país.

A Rock Strett foi um ponto bem movimentado no lugar, sendo uma área caracterizada com as construções inspiradas na cidade do Jazz New Orleans. As casinhas lado a lado serviram de espaço para a comercialização de produtos, restaurante e até mesmo correio.

A grande atração na rua planejada do Rock in Rio do dia 24 foi a banda Blitz, liderada por Evandro Mesquita. O cantor junto com seus companheiros conseguiu arrancar elogios da multidão ao som de clássicos do Rock e até mesmo reggae. Tal foi o reconhecimento da Blitz que arrancou gritos das pessoas, como “Melhor que NX-ZERO”. Lembrando que a banda liderada por Di Ferrero estava no exato momento se apresentando no Palco Mundo.

A chuva foi um aspecto marcante da noite do dia 24 de setembro. Ela refrescou os roqueiros de plantão e foi até um combustível para repor as energias durante o show do “Stone Sour”. A banda de Rock norte-americana foi uma grande surpresa para o Rock in Rio, incendiando com hits como “Through Glass” e “Bother”. Uma pitada de rock pesado pareceu ter agradado o numeroso público que tinha vaiado o NX-Zero.

Depois da surpreendente apresentação do “Stone Sour”, foi a vez do Capital Inicial agitar o Palco Mundo. Dinho deu voz aos seus principais sucesso e colocou todas as pessoas para pular. A apresentação em seguida foi Snow Patrol, que introduziu o show com a música “Open Your Eyes”. Apesar dos esforços do vocalista Gary Lightbody, a banda britânica não emocionou como era esperado.

O último show do dia 24 foi o do Red Hot Chili Peppers, considerado o mais esperado da noite pelo público que marcou presença na cidade do Rock. Ao som do baixo enlouquecido de Flea e com voz incomparável de Anthony Kiedis, os maiores sucesso da banda ganharam voz. Hits como ‘Californication’ e ‘Under The Bridge’ tiraram o fôlego dos fãs. Com o encerramento das apresentações do palco mundo, o agito se concentrou na pista de eletromusic.

 25 de setembro – dia do Metal

O terceiro dia do evento foi sem duvida o mais esperado desta primeira semana de Rock in Rio, com bandas de Heavy Metal muito esperadas pela multidão. E quem abriu a noite mais pesada desta edição foi à banda brasileira Glória, que apesar das vaias, e dos gritos de “Sepultura”, pois a banda se apresentava no palco Sunset, os garotos do Glória até conseguiram levantar a platéia com dois covers da banda Pantera. A segunda atração do dia foi  a banda Coheed and Cambria que também não empolgou a platéia que esperava ansiosa pelas principais atrações da noite. Já a banda Motorhead agitou o publico com músicas clássicas da longa carreira dos veteranos do Heavy Metal.

A criativa banda Slipknot não deixou a desejar, e fez uma apresentação enérgica, e cheia de hits, levando a multidão a loucura, e até mesmo quem estava lá para ver outras bandas, não teve como escapar da energia que o show transmitiu para a platéia. E por fim a banda mais esperada da noite, e até mesmo do festival, Metallica. A banda subiu no palco e agitou a multidão de 100 mil pessoas por 2h10, com direito a muitos clássicos da banda, que foi extremamente elogiada, e cotada para uma das melhores apresentações de todos os tempos do evento.

Opções de Entretenimento no Rock in Rio 2011

As pessoas que marcaram presença nos primeiro dias de Rock in Rio não tiveram apenas os shows como forma de lazer, mas também outras atrações na Cidade do Rock. A infraestrutura cedeu espaço para roda gigante patrocinada pelo Itaú, para a montanha-russa da Chilli Beans e Torre do chocolate Bis. Os telões estavam espalhados por todos os espaços, incluindo uma TV gigante da Multishow. Em suma, cada marca patrocinadora do festival teve o seu espaço e exclusividade no evento.

Outra opção de entretenimento que fez sucesso nos primeiros dias de Rock in Rio foi a tirolesa, que proporcionou adrenalina para várias pessoas através do deslize por cordas que passavam perto do Palco Mundo. Os corajosos encararam essa experiência, mas para conseguir participar dessa atividade radical era necessário ter paciência com a fila.

Transtornos no festival

Apesar do Rock in Rio ter surpreendido com tecnologia e moderna infraestrutura, ocorreram também muitas falhas no evento. Entre os problemas que caracterizaram as primeiras noites de festival se destacam a segurança deficiente, filas longas para conseguir comprar lanches, preços exorbitantes e muita sujeira pela Cidade do Rock. Parece que a proposta de sustentabilidade não estava no espírito do maior festival de música e entretenimento.

Depois dos problemas de roubo que aconteceram no primeiro dia do festival, a organização procurou criar melhorias no sistema de segurança. Os fãs se queixaram muito quanto à alimentação na Cidade do Rock, já que os lanches e outros aperitivos estavam com preços altos e a demora nas filas atrasou a diversão de muita gente.

É inevitável não mencionar o “lixão” que se transformou a Cidade do Rock nos primeiros dias de evento. Apesar das latas de lixo espalhadas pelo lugar, pareceu que as pessoas não se preocuparam com a conservação do meio ambiente. Segundo as impressões dos organizadores, faltou contribuição do público para manter a limpeza. No dia 24 a chuva aumentou ainda mais a sujeira da cidade do Rock, causando poças e prejudicando o visual do lugar.

Os transtornos do festival não param por aí, afinal as condições de transporte também prejudicaram muitas pessoas. Quem adquiriu o Riocard especial de Rock in Rio dentro do prazo não teve tanta dificuldade para retornar a rodoviária, mas quem não se antecipou com a compra, teve sérios problemas na volta.

Os bilhetes para ir ao evento foram vendidos por preços mais acessíveis na rodoviária do Rio, mas os passageiros não foram avisados de que não haveria lugar para a volta. Dessa forma, muitos tiveram que repensar uma forma de chegar até o voltar para casa na madrugada carioca contando com linhas de ônibus comum. Para os turistas que desconhecem a cidade, os momentos da volta para a rodoviária foram complicados.

 Recomendações para quem irá ao Rock in Rio

Prepare o bolso para gastos: tudo no Rock in Rio está muito caro, desde os aperitivos até as bebidas. Lanches do Bobs, marmitas do Informal, chopp Heineken são algumas das possibilidades do cardápio. As lojinhas com produtos oficiais do festival também estão com preços altos, o que com certeza vai dificultar a compra de lembrancinhas.

Vá pronto para encarar a multidão: o grande número de pessoas transformou o Rock in Rio num evento limitado. Dificuldades para alimentação e também para circular dentro do espaço, em especial nas imediações do Palco Mundo. Para encarar a jornada de shows, procure não levar mochilas pesadas e nem consumir alimentos fortes.

Proteja seus pertences: os organizadores esperam reforçar a segurança no próximo final de semana do Rock in Rio, mas é importante ter cuidado com os eletrônicos e cartões de crédito.

Compras no Rock in Rio: para quem não tem dinheiro na hora, vale a pena levar o cartão de crédito. Na loja oficial instalada na Cidade do Rock é possível parcelar em até três vezes sem juros, uma facilidade que promete reduzir o impacto dos altos preços no orçamento.

Cuidado com a cilada do transporte: ir de taxi para o Rock in Rio é algo totalmente fora do orçamento, afinal as corridas são caras para chegar à Cidade do Rock e principalmente para voltar de madrugada. Quem não comprou o Riocard disponível à venda pela internet teve que improvisar a viagem de volta. Sem lugares disponíveis nos ônibus especiais, as pessoas usaram o transporte coletivo tradicional.

Quem ficar perdido na saída, a melhor forma de conseguir voltar para a rodoviária Novo Rio é seguir até a parada de ônibus mais próximas e pegar o ônibus para Alvorada. Depois de descer nesse lugar uma nova condução deve ser tomada, que vai circular por várias áreas do Rio de Janeiro, até finalmente chegar ao terminal. Sufoco?! Imagina.

Quesito banheiro: não vá ao banheiro químico, principalmente se você for mulher. O sanitário feminino que construíram na cidade do Rock arrancou elogios, afinal, foi bem montado e não apresentou grande acúmulo de sujeira.

 

 

 

 

 

 

 

Top