Imposto de renda 2016: o que muda

Confira as novidades sobre o Imposto de Renda 2016: o que muda. O prazo de entrega do IR já foi divulgado, os declarantes deverão…

Confira as novidades sobre o Imposto de Renda 2016: o que muda. O prazo de entrega do IR já foi divulgado, os declarantes deverão enviar o documento até o dia 29 de abril. Veja quais as mudanças e novas regras anunciadas para prevenir irregularidades.

Imposto de renda 2016: o que muda. (Foto Ilustrativa)

Imposto de renda 2016: o que muda. (Foto Ilustrativa)

A declaração do imposto de renda é obrigatória para todas as pessoas físicas e jurídicas que independente da nacionalidade, são domiciliadas ou residentes no Brasil, e que recebem a renda mínima estabelecido pela Receita Federal. Esse ano, o rendimento mínimo anual é de R$28.123,91, lembrando que os declarantes devem considerar os ganhos obtidos durante todo o ano de 2015.

Leia também: Como recuperar o número do recibo da declaração do IR

Imposto de renda 2016: o que muda

Saiba mais sobre Imposto de renda 2016: o que muda:

CPF dos dependentes

Nesse ano, quem deseja incluir dependentes com idade igual ou superior a 14 anos na declaração e assim conseguir deduzir até R$2.275,08, deve antes cadastrar o indivíduo no cadastro de pessoas físicas (CPF). Caso contrário, a informação não será validada.

Quem pode ser considerado dependente

A idade dos dependentes na declaração é de no máximo 24 anos. (Foto Ilustrativa)

A idade dos dependentes na declaração é de no máximo 24 anos. (Foto Ilustrativa)

O declarante pode informar como dependente, filhos ou enteados com idade de até 21 anos. A idade máxima é ampliada para 24 anos, quando o dependente está matriculado em ensino médio/técnico ou superior. Esse mesmo grau de parentesco tem idade ilimitada quando o dependente é portador de algum tipo de deficiência. Se o declarante possuir guarda judicial de qualquer pessoa (parente ou não) menor de 21 anos, também pode informa-lo como dependente.

Os cônjuges também entram na lista de dependentes, para isso, é necessário estar casado no civil. Caso contrário, só é possível incluir o companheiro (a) na declaração, se for comprovado mais de 5 anos de relação sob o mesmo teto, com exceção aos casais que tiverem filhos. Os pais, avós e bisavós só podem ser dependentes se tiveram rendimento menor que R$ 21.453,24 em 2015.

Veja também: Imposto de Renda 2016 – IRPF como declarar

Rendimento proveniente de pessoas físicas

Contribuintes que são profissionais da área da saúde, dentistas e advogados que em algum momento de 2015 prestaram serviços e foram remunerados por pessoas físicas, devem incluir o CPF dos clientes na declaração.

Propriedade de bens

Pessoas que se tornaram proprietárias de bens ou direitos, no valor de 300 mil reais ou mais, até o dia 31 de dezembro de 2015 também serão obrigadas a declarar o Imposto de Renda em 2016.

Facilidade na entrega da declaração

Até o ano passado, a entrega da declaração do IR passava antes por três procedimentos: verificação, gravação e envio. A partir deste ano, a ferramenta tecnológica irá cumprir as três etapas de uma única só vez, basta clicar na opção “entrega da declaração”.

A ferramenta para declarar imposto de renda ficou mais simples. (Foto Ilustrativa)

A ferramenta para declarar imposto de renda ficou mais simples. (Foto Ilustrativa)

Leia mais: Programa gerador da declaração de IR de pessoa física

Agora você já sabe tudo sobre Imposto de Renda 2016: o que muda. Aproveite o prazo para organizar a documentação necessária e fazer o envio da declaração até o dia 29 de abril e não ficar irregular perante a Receita Federal. Continue no Mundo das Tribos e veja outras matérias sobre economia.

 

Top