Idade do pai pode estar relacionado a mutações genéticas dos filhos Idade do pai pode estar relacionado a mutações genéticas dos filhos

Idade do pai pode estar relacionado a mutações genéticas dos filhos

A vida reprodutiva dos casais está mudando, afinal, eles possuem novas prioridades. Homens e mulheres se preocupam com o trabalho e com a estabilidade…

Por Isabella Moretti em 24/08/2012

A vida reprodutiva dos casais está mudando, afinal, eles possuem novas prioridades. Homens e mulheres se preocupam com o trabalho e com a estabilidade financeira, por isso adiam o projeto de ter filhos para mais tarde. Entretanto, tal escolha pode oferecer riscos para a saúde da criança.

Quanto mais velho o pai, maiores as chances de transmitir mutações genéticas. (Foto:Divulgação)

Pais transmitem mais mutações genéticas do que as mães

Uma pesquisa, realizada pelos cientistas da deCODE Genetics, na Islândia, descobriu que a idade paterna está relacionada às mutações genéticas dos filhos, ou seja, às alterações que aumentam as chances de desenvolver doenças como autismo e esquizofrenia. Os resultados do novo trabalho foram divulgados na revista Nature, na última quarta-feira (22).

Saiba mais: Criança com autismo: cuidados, dicas

Para chegar à conclusão de que os pais mais velhos podem transmitir mutações de genes aos seus filhos, os pesquisadores analisaram as informações genéticas de 78 famílias, formadas por pai, mãe e filho.

Após uma análise cuidadosa dos dados, constatou-se que 44 filhos tinham autismo, enquanto 21 sofriam com esquizofrenia. Os pesquisadores procuraram, então, as mutações do DNA das crianças, que se desenvolveram espontaneamente e não estavam presentes no código genético materno ou paterno.

Em média são 55 mutações paternas contra apenas 14 maternas. (Foto:Divulgação)

Os autores do trabalho constataram que os pais transmitiram quatro vezes mais alterações no material genético do que as mães. Em média, são 55 mutações paternas contra apenas 14 maternas. Esta expressiva diferença se manifesta porque o esperma do pai é produzido frequentemente pela divisão de células reprodutivas, enquanto os óvulos da mãe possuem uma mesma quantidade, usada por toda a vida.

Filhos de pais mais velhos podem desenvolver doenças

Além de comprovar que os pais transmitem mais mutações genéticas aos filhos, o estudo islandês também revelou que as alterações no gene se tornam cada vez mais graves à medida que a idade paterna avança. Duas novas mutações são somadas a cada ano de vida do pai.

Considerando a descoberta da pesquisa genética, um pai de 36 anos passaria a seu filho o dobro de mutações, em comparação com outro pai mais jovem, de 20 anos. No caso da idade paterna bem avançada, com 70 anos, os danos seriam ainda maiores, pois as alterações no gene se manifestariam 8 vezes mais.

Na Islândia, país onde foi realizado o estudo, a idade média dos homens para ter filhos fica entre 28 para 33 anos. No período de 1980 e 2011, as mutações transmitidas às crianças subiram de 60 para 70.

Filhos de pais mais velhos têm mais chances de desenvolver autismo e esquizofrenia. (Foto:Divulgação)

Das alterações genéticas identificadas pelos autores do trabalho, algumas estão relacionadas ao autismo e a esquizofrenia. Entretanto, não são todas que resultam em danos para a saúde, muito pelo contrário, algumas mudanças do gene proporcionam vantagens evolutivas.

Veja também: Doenças genéticas mais comuns – quais são

Top