Hospital nos EUA precisa de ajuda de cão durante cirurgia de sua dona de sete anos

Hospital nos EUA precisa de ajuda de cão durante cirurgia de sua dona de sete anos

a menina de sete anos de idade chamada Kaelyn Krawczyk é portadora de mastocitose, que é uma doença em que os portadores costumam apresentar…

Por Élida Santos em 20/12/2013

a menina de sete anos de idade chamada Kaelyn Krawczyk é portadora de mastocitose, que é uma doença em que os portadores costumam apresentar sintomas como urticária, inchaço, náuseas e falta de ar. As alergias aparecem sempre sem qualquer tipo de aviso prévio, podem até ser fatais, dependendo do estado e gravidade.

Cão ajuda garotinha em operação (Foto: Divulgação)

Cachorro foi treinado para identificar crises de sua dona

A criança reside na Carolina do Norte com a família e costumava ter muitas crises da doença, deixando os pais em alerta sempre. A dupla só pode relaxar quando a criança ganhou de presente o cão chamado de JJ, que é um terrier treinado para prever as crises alérgicas da criança.

Criança apresentou melhora depois que ganhou cão

Há 18 meses, depois que o cachorro passou a acompanhar a criança, o número de crises da doença diminuiu consideravelmente. O cãozinho é capaz de perceber mudanças químicas ou de comportamento bastante sutis no corpo da menina, que indicam que a garota está prestes a ter uma crise.

Menina teve diminuição nas crises após ganhar cãozinho (Foto: Divulgação)

Médicas pediram ajuda a cão para fazer operação na menina

Nessa semana, quando a menina teve que passar por alguns procedimentos cirúrgicos, os médicos pediram para o cão ficar por perto. A equipe responsável pelo atendimento de Kaelyn no hospital Duke University Medical Center decidiu contar com a ajuda do cão durante a cirurgia para evitar que a criança passasse mal sem eles perceberem os sinais.

Apesar dos ricos de infecção por ter um cão ao lado da mesa de operações, o animal foi autorizado a permanecer junto com a garotinha durante todo o procedimento. Ele tomou um belo banho antes de acompanhar a operação. O objetivo dos médicos era fazer com que o cachorro avisasse os médicos caso a menina tivesse alguma reação no momento da anestesia.

“Nesta era da tecnologia, quando temos milhões de dólares investidos em equipamentos, é incrível pensar que tínhamos um pequeno cão nos ajudando, muito mais sensível do que todas as máquinas”, explicou o anestesista Brad Taicher.

No final, a cirurgia foi um sucesso, e teve como objetivo detectar a causa de infecções renais na menina. O procedimento durou cerca de 45 minutos.

Top