Histerectomia: o que é

Histerectomia: o que é

A histerectomia é uma das cirurgias ginecológicas mais comuns e consiste na retirada do útero e, em alguns casos, remoção de anexos como trompas…

Por Editorial MDT em 30/11/2012

A histerectomia é uma das cirurgias ginecológicas mais comuns e consiste na retirada do útero e, em alguns casos, remoção de anexos como trompas de falópio e ovários. A falta de conhecimento sobre o assunto para pessoas que irão passar pelo procedimento, pode gerar ansiedade muito maior do que a necessária. Para esclarecer várias dúvidas sobre o assunto, entende melhor o que é histerectomia.

Conheça a causa, sintomas e tratamento de miomatose uterina.

Entenda melhor o que é a histerectomia. (Foto: divulgação)

Tipos de histerectomia

 Existem muitas variações de técnica para realização da histerectomia e a indicação do melhor procedimento é individualizada, pois leva em consideração o quadro clínico e fatores como idade e histórico familiar e pessoal da paciente.

Histerectomia total (completa)

Nesse tipo de cirurgia ocorre a retirada do útero juntamente com o colo do útero, também chamado de cérvix. É a modalidade mais comum de intervenção.

Histerectomia parcial

É realizada a remoção apenas da parte superior do útero (corpo e fundo uterinos), preservando o colo do útero.

Histerectomia radical

Nessa modalidade, que é mais reservada para casos graves, como os de pacientes com câncer de colo de útero, é feita a remoção de todo útero e cérvix e ainda há a retirada da porção superior da vagina e tecidos de suporte.

Segmento retirado em cada tipo de histerectomia. (Foto: divulgação)

Na maioria dos casos, um ou os dois ovários são removidos concomitantemente à retirada uterina. É importante ressaltar para pacientes que ainda não atingiram a menopausa, que o tipo de cirurgia onde há remoção de ambos os ovários resulta em parada da menstruação e a possibilidade de ocorrer sintomas da menopausa, como as ondas de calor e ressecamento vaginal.

Como a cirurgia é realizada

O procedimento cirúrgico pode ser realizado por duas vias de acesso, uma através de um corte abdominal e outra através de um corte vaginal. O tipo de cirurgia a ser feita depende do motivo para intervenção e de características da paciente. A técnica mais utilizada para histerectomia ainda é a por via abdominal, que necessita de maior tempo de recuperação.

Saiba mais sobre os sintomas e tratamento para câncer de colo de útero.

Recuperação cirúrgica

Geralmente, a paciente permanece entre 1 a 2 dias internada para observação e cuidados pós-operatórios, sendo que esse período pode se estender para até 4 dias. A recuperação total da histerectomia, normalmente,  via abdominal gira em torno de 4 a semanas, enquanto esse tempo é apenas de 1 a 2 semanas no procedimento realizado via vaginal. Em ambas situações é possível retomar as atividades sexuais em 6 semanas.

Geralmente, é necessário permanecer 1 ou 2 dias internada. (Foto: divulgação)

A histerectomia é uma cirurgia relativamente frequente em ginecologia e, além de diferentes modalidades de intervenção, é possível contar com diferentes vias cirúrgicas. As principais indicações de histerectomia são fibrose uterina, endometriose, prolapso uterino, câncer no útero ou ovários, sangramento vaginal persistente ou dor pélvica crônica.

Top