Editorial MDT 30/11/2012 Bem Estar

A histerectomia é uma das cirurgias ginecológicas mais comuns e consiste na retirada do útero e, em alguns casos, remoção de anexos como trompas de falópio e ovários. A falta de conhecimento sobre o assunto para pessoas que irão passar pelo procedimento, pode gerar ansiedade muito maior do que a necessária. Para esclarecer várias dúvidas sobre o assunto, entende melhor o que é histerectomia.

Conheça a causa, sintomas e tratamento de miomatose uterina.

Entenda melhor o que é a histerectomia. (Foto: divulgação)

Tipos de histerectomia

 Existem muitas variações de técnica para realização da histerectomia e a indicação do melhor procedimento é individualizada, pois leva em consideração o quadro clínico e fatores como idade e histórico familiar e pessoal da paciente.

Histerectomia total (completa)

Nesse tipo de cirurgia ocorre a retirada do útero juntamente com o colo do útero, também chamado de cérvix. É a modalidade mais comum de intervenção.

Histerectomia parcial

É realizada a remoção apenas da parte superior do útero (corpo e fundo uterinos), preservando o colo do útero.

Histerectomia radical

Nessa modalidade, que é mais reservada para casos graves, como os de pacientes com câncer de colo de útero, é feita a remoção de todo útero e cérvix e ainda há a retirada da porção superior da vagina e tecidos de suporte.

Segmento retirado em cada tipo de histerectomia. (Foto: divulgação)

Na maioria dos casos, um ou os dois ovários são removidos concomitantemente à retirada uterina. É importante ressaltar para pacientes que ainda não atingiram a menopausa, que o tipo de cirurgia onde há remoção de ambos os ovários resulta em parada da menstruação e a possibilidade de ocorrer sintomas da menopausa, como as ondas de calor e ressecamento vaginal.

Como a cirurgia é realizada

O procedimento cirúrgico pode ser realizado por duas vias de acesso, uma através de um corte abdominal e outra através de um corte vaginal. O tipo de cirurgia a ser feita depende do motivo para intervenção e de características da paciente. A técnica mais utilizada para histerectomia ainda é a por via abdominal, que necessita de maior tempo de recuperação.

Saiba mais sobre os sintomas e tratamento para câncer de colo de útero.

Recuperação cirúrgica

Geralmente, a paciente permanece entre 1 a 2 dias internada para observação e cuidados pós-operatórios, sendo que esse período pode se estender para até 4 dias. A recuperação total da histerectomia, normalmente,  via abdominal gira em torno de 4 a semanas, enquanto esse tempo é apenas de 1 a 2 semanas no procedimento realizado via vaginal. Em ambas situações é possível retomar as atividades sexuais em 6 semanas.

Geralmente, é necessário permanecer 1 ou 2 dias internada. (Foto: divulgação)

A histerectomia é uma cirurgia relativamente frequente em ginecologia e, além de diferentes modalidades de intervenção, é possível contar com diferentes vias cirúrgicas. As principais indicações de histerectomia são fibrose uterina, endometriose, prolapso uterino, câncer no útero ou ovários, sangramento vaginal persistente ou dor pélvica crônica.

Outros artigos

Novo Corolla 2011 – Fotos, Preço

17/03/2010

Novo Corolla 2011 – Fotos, Preço

Para vocês amantes de carros, não deixem de conferir nossa matéria para que você possa observar um pouco mais sobre o mais novo carro que a Toyota está lançando ...

Filhotes de Labrador a Venda

06/07/2011

Filhotes de Labrador a Venda

O Labrador é um cão de grande porte cujo o peso varia entre 35 a 43 quilos. Este animal pode chegar a uma altura que fica entre 55 a 58 cm e as cores mais comuns...

Piscinas Americanas.com

19/02/2011

Piscinas Americanas.com

A Lojas Americanas oferece produtos dos mais variados setores possíveis. É uma grande rede de varejo com unidades em todo o território nacional. Além das lojas f...