Hipotireoidismo também afeta homens

A tireoide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, bem abaixo do pomo-de-adão. Ela produz hormônios que aumentam o metabolismo de todas…

A tireoide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, bem abaixo do pomo-de-adão. Ela produz hormônios que aumentam o metabolismo de todas as células do organismo, incluindo o coração, cérebro, fígado, rins e pele.

O hipotireoidismo é uma disfunção da glândula tireoide. Esta começa a produzir uma quantidade diminuída de hormônios, acarretando os sintomas. As mulheres são mais afetadas pela doença (4 vezes em relação ao sexo masculino), porém, é importante lembrar que os homens também podem ser alvos desse problema.

Muitas pessoas possuem hipotireoidismo e não sabem, principalmente os homens, por procurarem menos o médico na presença de sintomas.  Pesquisas revelam que cerca de cinco milhões de brasileiros são portadores de hipotireoidismo, e a maioria ainda não foi diagnosticada.

Como é uma doença que aparece mais em idades avançadas, acima dos 50 anos, muitas pessoas apresentam sintomas vagos de cansaço, desânimo e depressão e atribuem como sendo próprios da idade. Dessa forma deixam de ser diagnosticados.

Em relação aos homens, a doença atinge principalmente aqueles acima de 65 anos; com colesterol alto; que já tiveram doenças na tireoide anteriormente; com história familiar de doenças autoimunes, como diabetes tipo I, Lúpus ou artrite reumatoide; que estiveram em tratamento de radioterapia de cabeça e pescoço; que fazem uso de lítio ou amiodarona; com depressão ou doença do pânico.

Qual a causa do hipotireoidismo?

O hipotireoidismo pode surgir por diversos fatores. A causa mais comum é a que decorre da doença de Hashimoto. Esta doença aparece quando o organismo, por razões desconhecidas, não reconhece a tireoide como parte do próprio corpo e o sistema imune a ataca, prejudicando o seu funcionamento, diminuindo a produção de hormônios.

Leia Também:  Tatuagem underboob fotos e dicas

Outro fator, muito comum, é que pessoas que são submetidas a cirurgias da glândula tireoidiana ou que se trataram do hipertireoidismo, anteriormente, acabam tendo hipotireoidismo em consequência do tratamento.

Sinais e sintomas do hipotireoidismo

Como o hormônio da tireoide afeta praticamente todas as células do corpo, existe uma grande variedade de sintomas. Por exemplo:

  1. Cansaço, fadiga;
  2. Depressão;
  3. Pele seca, quebradiça;
  4. Cabelos ásperos e secos;
  5. Unhas quebradiças, frágeis;
  6. Constipação intestinal;
  7. Anemia, palidez;
  8. Perda do apetite, porém com aumento de peso;
  9. Inchaços em tornozelos e rosto;
  10. Aumento do colesterol.

Diagnóstico e tratamento

O exame utilizado para o diagnóstico do hipotireoidismo é a dosagem de TSH (hormônio estimulador da tireóide), no sangue.

Como a maioria dos casos de hipotireoidismo resulta de danos irreversíveis da glândula tireoidiana, não existe tratamento que leve a cura definitiva da doença. Assim, deve-se tratar por toda a vida, com reposição dos hormônios que a tireoide não está produzindo. O hormônio sintético da tireoide, usado no tratamento, é chamado de levotiroxina sódica. Este é apenas um comprimido e deve ser tomado em jejum, logo pela manhã.

Os sintomas do hipotireoidismo não desaparecem assim que se inicia o tratamento, com o hormônio. É necessário manter a utilização dos comprimidos diariamente. Assim, aos poucos a pessoa começa a notar melhora progressiva de todos os sintomas.

A falta, ou demora, de tratamento pode ocasionar sérios danos para a saúde. Os riscos da falta de tratamento do hipotireoidismo diferem de pessoa para pessoa e depende, também, da idade do indivíduo.

É importante que todos os homens, acima de 60 anos façam regularmente o exame de dosagem de TSH, no sangue. Essa atitude é necessária para que o diagnóstico seja feito o mais cedo possível, evitando graves problemas de saúde

Leia Também:  Pacotes de Viagem Personalizados CVC

Top