Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar> Grande consumo de salmão durante gravidez reduz produção de anticorpo

Grande consumo de salmão durante gravidez reduz produção de anticorpo

Por Isah

Durante a gravidez, a mulher precisa ter alguns cuidados com a alimentação, afinal, sua dieta é responsável por fornecer os nutrientes que o filho necessita para desenvolver. Depois do nascimento, a alimentação continua sendo essencial, pois ela fornece nutrientes para o recém-nascido através do leite materno.

Saiba mais: Cuidados com a alimentação durante a gravidez

O ômega-3, presente no salmão, inibe um anticorpo importante no combate às infecções. (Foto:Divulgação)

Excesso de ômega-3 pode causar carência de um anticorpo

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Reading junto com a Universidade de Southampton, ambas da Grã Bretanha, mostrou que consumir grandes quantidades de salmão durante a gravidez pode ser prejudicial para o bebê. Isto acontece porque o excesso ácido graxo ômega-3 no organismo inibe um anticorpo fundamental para prevenir infecções. Os resultados do estudo foram divulgados no periódico The Journal of Nutrition.

Para chegar à conclusão de que salmão em excesso faz mal para a saúde do bebê, os pesquisadores avaliaram 123 gestantes, que raramente ingeriam peixes gordurosos. Metade das voluntárias cumpriu continuaram com a dieta regular, enquanto a outra passou a ingerir duas porções de salmão semanalmente, de acordo com a orientação dos pesquisadores. As mulheres seguiram comendo salmão a partir da 20ª semana de gestação até o nascimento.

Pesquisa acompanhou 123 gestantes, que raramente ingeriam peixes gordurosos. (Foto:Divulgação)

Após analisar as participantes dos dois grupos, os autores do trabalho descobriram que as mamães que incluíram salmão na dieta alimentar apresentaram uma alta quantia de ômega-3 no organismo, que foi transferida para o bebê através do leite materno durante o primeiro mês de amamentação. Estas mulheres também mostraram uma redução significativa nos níveis de imunoglobina-A, uma secreção que atua como anticorpo para evitar infecções causadas por vírus e bactérias.

Para Parveen Yaqoob, responsável por coordenar o estudo, a dieta rica em peixes gordurosos fornece nutrientes importantes para o organismo, mas é necessário não cometer exageros. Por outro lado, ela afirmou que novas pesquisas são necessárias para definir os motivos para a baixa de imunoglobina-A no organismo da gestante e como isto afeta o recém-nascido.

Veja também: Carência de ômega-3 pode acelerar envelhecimento do cérebro

Os benefícios do ômega-3

O ômega-3, nutriente presente nos peixes, traz diversos benefícios para a saúde humana. Este ácido graxo reduz as chances do indivíduo sofrer com depressão, doenças cardiovasculares, ansiedade, diabetes, síndrome inflamatória intestinal, declínio mental e até mesmo alguns tipos de câncer. De acordo com especialistas, o ômega-3 também é um aliado para perder peso.

O ômega-3 combate a depressão, a ansiedade, as doenças cardiovasculares, entre outros problemas. (Foto:Divulgação)
Recomendado para você
Bem Estar

Tailleur feminino: o que é, dicas para usar

Bem Estar

Como organizar uma excursão?

Bem Estar

Saiba como temperar pratos com curry

Bem Estar

Pacotes de viagens Peixe Urbano, ofertas

Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *