Gestantes atenção: antidepressivos podem afetar seus filhos

Mulheres que ingerem antidepressivos durante a gravidez possuem mais chance de ter filhos com problemas de hipertensão pulmonar estável, de acordo com um levantamento…

Imagem: (Foto Divulgação)

Mulheres que ingerem antidepressivos durante a gravidez possuem mais chance de ter filhos com problemas de hipertensão pulmonar estável, de acordo com um levantamento publicado no British Medical Journal.

O problema, delicadíssimo, é marcado por uma irregular pressão alta nos pulmões, e importuna dificuldade de respiração, canseira e tosse. O estudo foi realizado no Centro de Farmacoepidemiologia do Instituto Karolinska, em Estocolmo, na Suécia.

Na análise, os cientistas acompanharam 1,6 milhão de bebês durante seus primeiros meses de vida entre 1996 e 2007, em cinco países. Foram avaliados dados das gestantes como índice de massa corporal, idade, se apresentavam hipertensão pulmonar estável, se fumavam, quanto pesavam ao nascer e doenças maternas como artrite, lúpus e doenças no intestino.

Entre todas elas, cerca de 11.000 ingeriram antidepressivos no fim da gestação e aproximadamente 17.000 no começo. Normalmente, essas mulheres ainda fumavam e eram mais velhas do que as demais. Outras 54.185 tinham se submetido os medicamentos antes da gravidez.

Decorrências

Os cientistas concluíram que, entre as mulheres que haviam tomado antidepressivos no final da gestação 0,2% tiveram filhos com hipertensão pulmonar estável. Essa porcentagem entre bebês que nasceram de mulheres que ingeriram antidepressivos no começo da gestação chegou perto de 0,2%.

Mesmo os autores da pesquisa reconhecendo que o risco de desenvolver hipertensão pulmonar estável é mínimo, ou seja, aproximadamente de três casos em mil mulheres, o risco dobra se os medicamentos forem ingeridos no final da gestação e, por isso, eles ainda recomendam cuidados no tratamento com antidepressivos em mulheres grávidas.

Top