Fumantes: cigarro prejudica o coração, saiba o motivo

Em uma época em que a saúde e a qualidade de vida são bens muito valorizados, há muito tempo o cigarro perdeu sua aura…

Por Editorial MDT em 04/09/2011

Em uma época em que a saúde e a qualidade de vida são bens muito valorizados, há muito tempo o cigarro perdeu sua aura e seu status de glamour. Se antes ele era tido até mesmo como algo saudável, exaltado por propagandas belíssimas e estampadas com modelos jovens e bem dispostos, hoje é algo completamente fora de moda.

Nos dias atuais, os malefícios do tabagismo são mais do que conhecidos: são alvos de campanhas na mídia e nas escolas, estão nas fotos presentes nos próprios maços e em justificativas de leis que restringem o fumo em ambiente público. Seus malefícios estão mais do que ditos e só fazem aumentar a cada novo estudo sobre o tema. Sabemos especialmente daqueles que dizem respeito aos pulmões, mas claro, eles não param por aqui. Você sabia que o cigarro também pode fazer mal ao seu coração?

Como o cigarro afeta o coração?

De acordo com matéria do Mundo Estranho, a nicotina faz com que o corpo absorva mais colesterol, eleva a pressão arterial e a frequência cardíaca, provocando assim fatores de risco que deixam fumantes mais predispostos a sofrer infartos. Aliás segundo o portal Terra o panorama da saúde cardíaca de um fumante está muito longe de ser bom. Confira alguns dados expostos pelo portal relativos ao estudo Interheart, feito com mais de 27.000 pessoas:

– Quem fuma têm o triplo de chances de ter sofrer um infarto do que aquelas pessoas que jamais fumaram e este risco diminui depois que o indivíduo para de fumar.

– O risco de infarto depende do número de cigarros consumidos por dia: 63% para quem fuma menos de dez por dia e pode ser multiplicado por 2,6 para quem consome entre 10 a 19 cigarros e em 4,6 para quem fuma mais de 20 diários.

– Em compensação, após deixar o vício a diminuição desse risco também depende do número de cigarros consumidos. Quem fumava menos de 10 cigarros por dia, o risco maior desaparece no período entre três e cinco anos. Já para os que faziam o consumo de forma mais intensa, este risco permanece por vinte anos.

– Fumantes passivos não estão isentos do risco: quem está exposto à fumaça tem as suas chances de ter problemas cardíacos elevadas em 62% caso esteja exposta por mais de 21 horas semanais.

Outras estatísticas sobre os males do tabagismo

Estas estatísticas também foram divulgadas pelo portal Terra. O cigarro tem responsabilidade por:

– 25% das mortes causadas por doença coronariana, angina e infarto do miocárdio;

– 45% dos falecimentos provocados por doença coronariana em pessoas abaixo dos 60 anos;

– 45% dos óbitos por infarto agudo do miocárdio em pessoas abaixo dos 65 anos.

Vale lembrar que os males são provocados por qualquer forma de consumo ou exposição ao tabaco, até mesmo o ato de masca-lo. Aliás, mascar o tabaco quadruplica as chances de infarto.

Se você está pensando em deixar o cigarro, a tentativa realmente vale a pena. Por mais difícil que seja levar a diante a ideia de parar de fumar, a sua saúde agradece. Experimente! Cuide de si!

Top