Fobia social: o que é e como Afeta as Pessoas

Atualmente vivemos um tempo onde bem que poderíamos chamar de “era da exposição”. Uma época onde nunca o ato de mostrar a cara foi tão valorizado. A ideia de expor-se tornou rotineiro, seja na escola ou na faculdade, no trabalho ou em uma entrevista de emprego. Não é uma época muito fácil para os tímidos, mas nada que não possa ser contornado com empenho. Porém, estes são tempos difíceis para pessoas que são mais do que tímidas. Ou pelo menos é assim que alguns costumam chamar, porém isso pode ser sinal de um mal que vem se tornando frequente e pouco tem a ver com personalidade: a fobia social.

O que é a fobia social?

De acordo com o site ABC da Saúde, a doença se apresenta como medo excessivo de humilhação e embaraço em vários contextos sociais, sobretudo aqueles que envolvem o ato de se expressar em público. É comum que ela passe a evitar a aproximação de outra pessoa por medo de rejeição e de ser ridicularizada e isso gera grandes limitações na vida do indivíduo afetado.

Para se ter uma ideia do problema e das limitações geradas pela fobia social, segundo informações do blog Escola Psicologia, as situações mais temidas por quem sofre com o problema são: falar em público, comer e beber na frente dos outros, conversar ao telefone, falar com estranhos, participar de reuniões sociais, interagir com o sexo oposto, lidar com figuras de autoridade e manter contato visual com pessoas não familiares. Já o site Psicosite inclui a estes sinais o ato de escrever em público como um dos fatores causadores de ansiedade.

Sintomas da fobia social:

Segundo informações do Vya Estelar, os sintomas de fobia social são os mesmos típicos de manifestações de ansiedade, só que estas são desencadeadas quando o indivíduo está exposto ao olhar dos outros ou estará em breve. De acordo com o site as reações mais observadas são: taquicardia, tensão muscular, tremores, sudorese, boca seca, rubor, dor de barriga, tontura, vontade de urinar, mãos geladas, sensação de bolo na garanta e até mesmo ataques de pânico. Já para quem antecipa sua preocupação a respeito desse tipo de situação pode ter sono, concentração e apetite influenciados.

Riscos caso a fobia social não seja tratada:


Além da limitação da vida social, profissional e afetiva do indivíduo afetado, de acordo com o blog Escola Psicologia também há problemas que podem ser associados ou desencadeados por esta fobia, tais como depressão, abuso de álcool e drogas – ingeridas habitualmente para dar coragem ante situações de ansiedade – e até mesmo tentativas de suicídio. São fatores que fazem com que ela deva ser tratada o quanto antes.

Tratamentos:

Se você sofre com fobia social é preciso procurar ajuda especializada. O tratamento pode envolver medicamentos e psicoterapia. Tanto diagnóstico quanto tratamento em si são individualizados, tendo em vista as situações fóbicas relatadas e a intensidade dos sintomas apresentados, portanto não se automedique e nem adie a procura por ajuda. Isso tem a ver com a sua qualidade de vida, portanto cuide-se.

 

Reply