Festa de Descasamento – Será que a moda pega?

Samantha Andreotti

Advogada Samantha Andreotti

Mara Borges, empresária na cidade de São Paulo, trabalha com preparativos e doces bem-casados.
Acostumada com a rotina Mara recebeu um convite inusitado de uma antiga cliente, recebeu uma encomenda de 300 bem-casados para uma festa de separação. “Fiquei surpresa. A gente tinha feito os docinhos para o casamento deles. Foi uma coisa inusitada, mas ela avisou que era amigável”, conta a empresária da Doceria Emília Bem-Casados.

A encomenda foi feita há quatro anos, eles disseram que, resolveram reunir os amigos e a família para anunciar a separação, assim como haviam feito para anunciar a união.

Apesar de Mara causar espanto com a Festa de Separação, isso não é novidade para a advogada Samantha Andreotti, de 32 anos. No ano de 2005, ela e o seu futuro ex-marido mandaram convites para 80 pessoas chamando-as para a sua “festa de separação”.

“As nossas famílias não entenderam na hora. Depois aceitaram a festa, mas disseram que não iriam participar”, conta a advogada. Muitos amigos também acharam um absurdo o evento social”. E somente 30 pessoas compareceram a festa e aceitaram comer e beber às custas da separação do casal. “Eles diziam que não iriam brindar o fracasso da relação. Eu falava que a gente devia comemorar o privilégio de ter uma separação sem traumas”, afirma Samantha.

Samantha acredita que o seu relacionamento acabou em festa porque ambos os dois eram muito amigos e também porque não houve traição e nem uma terceira pessoa no relacionamento. O ex-casal dividiu as despesas e até ouviu piada dos amigos. “A gente tinha vendido o apartamento e a reunião foi, inclusive, uma despedida da casa. Quando a festa começou a ficar animada, nossos amigos começaram a perguntar pelos presentes que eles tinham dado e a pedir de volta”, conta a advogada aos risos.

A banqueteira Vivi Barros conta que também conhece uma história parecida. A encomenda foi um banquete para 80 pessoas em que o cardápio incluía tudo o que o ex-marido não gostava e nem a deixava fazer.
“A comida tinha bacalhau e marzipã, que ele não gostava. Ela me contou que cortou o cabelo e pintou as unhas de vermelho para a festa, justamente porque ele não deixava ela fazer”, conta Vivi, mas sem revelar nomes.

E você, concorda com essa nova moda?

Fonte: G1

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Reply