Exames importantes para a saúde da mulher

Para garantir ótimas condições de saúde e ajudar a prevenir qualquer imprevisto, as mulheres contam com um importantíssimo aliado, que é seu médico ginecologista.…

Saiba quais os exames importantes para manter a saúde em dia.

Para garantir ótimas condições de saúde e ajudar a prevenir qualquer imprevisto, as mulheres contam com um importantíssimo aliado, que é seu médico ginecologista. O indicado é que, a partir da primeira menstruação, as mulheres façam uma consulta regular com o especialista, a fim de sanarem eventuais dúvidas, além de serem monitoradas com exames preventivos que detectam precocemente várias doenças.

Confira os principais exames, clínicos e laboratoriais, importantes para a saúde da mulher.

Exame pélvico e das mamas

Toda mulher com vida sexual ativa e mais de 20 anos deve ser submetida a esse procedimento  ao menos uma vez por ano. É um exame clínico onde o médico observará visualmente e fará palpação do colo do útero, aparelho genital e das mamas, procurando por doenças infecciosas, corrimentos, nódulos e outras alterações.

O exame clínico das mamas e da pelve deve ser feito anualmente.

Colposcopia

É a visualização da vulva, vagina e colo do útero com o colposcópio, um aparelho capaz de iluminar e ampliar a região de 10 a 40 vezes. É um exame clínico realizado no consultório médico e tem a função de detectar lesões correspondentes às alterações que porventura poderiam surgir no Papanicolau.

Colpocitologia (Papanicolau)

É um exame laboratorial, que tem por objetivo identificar precocemente alterações celulares que poderiam vir a se transformar em problemas mais graves. O exame é colhido no consultório médico, o material segue para análise e logo após a expedição do laudo pelo médico patologista, o resultado volta para o ginecologista fazer a interpretação e dar continuidade ao tratamento, caso seja necessário.

Esse exame deve ser feito anualmente a partir da primeira relação sexual ou dos 18 anos, até que a mulher complete 65 anos, em média.

Leia Também:  Hábitos comuns que afetam o Coração

Mamografia

É o principal exame para detecção precoce do câncer de mama e funciona como uma espécie de raio-X, que proporciona uma boa definição de imagem de partes moles, como é o caso do tecido glandular das mamas e parte da axila (enquanto que o raio-X é excelente para visualizar partes duras, como os ossos).

Sua sensibilidade é tão boa que esse exame é capaz de detectar lesões pequenas antes mesmo de se tornarem palpáveis ao exame físico (menores do que 1 cm), ampliando consideravelmente a capacidade de cura do câncer de mama.

Segundo o Ministério da saúde, a mamografia deve ser realizada entre os 50 e 69 anos, com no máximo 2 anos entre os exames (nos casos em que o resultado vem sem alteração). Em mulheres no grupo de risco, a mamografia deve ser realizada anualmente a partir dos 35 anos, juntamente com o exame físico das mamas. Na literatura também existe a recomendação de realizar a mamografia de rastreamento em mulheres assintomáticas, a partir dos 40 anos.

Como “Grupo de risco” entende-se as mulheres com história familiar de, pelo menos, um parente de primeiro grau (mãe, filha ou irmã) com diagnóstico de câncer de mama antes dos 50 anos ou com histórico de câncer de mama bilateralmente ou câncer de ovário ou câncer de mama masculino, em qualquer faixa etária.

A mamografia consegue detectar nódulos bem pequenos.

Portanto, é importante ficar atenta com a periodicidade dos exames oferecidos e conversar com o médico ginecologista para esclarecer qualquer dúvida. Cuide da saúde e garanta um futuro com muito mais qualidade de vida.

Top