Estresse em crianças: sintomas, como tratar

Para surpresa de muitas pessoas, estresse não é um problema exclusivo dos adultos que ficam atarefados com o trabalho o dia inteiro e no…

As crianças também sofrem com estresse. (Foto: Divulgação)

Para surpresa de muitas pessoas, estresse não é um problema exclusivo dos adultos que ficam atarefados com o trabalho o dia inteiro e no final do mês precisam arcar com as despesas da casa. Esse problema, cada vez mais comum na sociedade moderna, pode afetar as crianças e até mesmo os bebês!

Confira dicas para evitar o estresse infantil.

O que é o estresse

O estresse é uma reação do corpo frente a situações hostis, que podem ser fuga, briga, luta ou pressão. Esse processo ocorre quando um adulto leva aquela bronca do patrão ou tem seu emprego ameaçado, mas também pode aparecer na vida infantil, quando a criança leva bronca da professora ou acaba brigando com algum coleguinha da classe.

Apesar de serem situações completamente diferentes, a tendência dos adultos é menosprezar a dificuldade infantil. O ideal seria que os pais tentassem entender os problemas de seus filhos levando em consideração o ponto de vista, ansiedade e temores dos pequenos.

Quando o estresse infantil aparece

A situação de estresse pode ser desencadeada por qualquer alteração na vida da criança. As causas mais comuns costumam ser problemas escolares, dificuldades no convívio social com os amiguinhos e, principalmente, um ambiente familiar não saudável. Quando se fala em problemas familiares, a ausência de um dos pais ou até mesmo o luto costuma provocar um pico de estresse muito alto por serem situações que a criança não está preparada para lidar.

Entretanto o fator desencadeante do problema mais frequentemente observado são atitudes dos pais para com a criança, como cobranças excessivas, falta de amor e carinho e agressão física ou psicológica.

Leia Também:  Planta de Casas 2 Pisos

Não são apenas posturas negativas que desencadeiam o estresse, pois na tentativa de tornar o filho qualificado para o mercado de trabalho os pais adotam a atitude, relativamente comum, de lotar a agenda da criança com aulas de inglês, futebol, música, balé e muitos outros compromissos. O resultado é a falta de acesso às principais atividades relaxantes da infância: brincar e passar tempo com os pais.

Encher a agente da criança pode provocar o aparecimento do problema. (Foto: Divulgação)

Principais sintomas de estresse infantil

  • Irritação, muitas vezes sem motivo aparente;
  • Isolamento dos pais e amigos;
  • Mudanças comportamentais inusitadas, por exemplo, criança que sempre gostou de ir às aulas de música, mas começa a fazer birra quando o horário de ir pra escola está próximo;
  • Alterações alimentares como desinteresse por comida e até mesmo por seus pratos favoritos;
  • Alterações no sono, em que a criança dorme além do normal e ainda assim se mantém cansada;
  • Dificuldades digestivas, como queimação estomacal e dor de barriga;
  • Ansiedade;
  • Agressividade;
  • Queda do desempenho escolar, esportivo e social.

Como tratar

A solução para o problema é a remoção de todos os fatores estressantes, se lembrando de que a criança deve ter um tempo exclusivo para ficar com os pais e brincar. É necessário ficar atentos aos sintomas, que muitas vezes podem ser sutis, tendendo a piorar com o tempo. A procura por um especialista pode ser necessário, e o acompanhamento com psicoterapia mostra inúmeros benefícios e está mais do que recomendada.

Saiba como lidar com crianças estressadas.

Um dos sintomas de estresse é o isolamento. (Foto: Divulgação)

O estresse infantil é um problema grave que, se não for tratado a tempo, irá prejudicar o desenvolvimento infantil, comprometendo o desempenho escolar, afetando as relações interpessoais com amigos e familiares, formando crianças ansiosas e problemáticas.

Leia Também:  Bolsa-carteira: dicas para usar

Top