Envelhecer bem Também está Relacionado à Vida Sexual Ativa

Houve uma época onde a imagem do idoso era a de um indivíduo frágil, sem grandes vaidades, que vivia somente para os netos e…

Por Editorial MDT em 06/09/2011

Houve uma época onde a imagem do idoso era a de um indivíduo frágil, sem grandes vaidades, que vivia somente para os netos e para suas miudezas, e cujos maiores hobbies poderiam ser um jogo de dominó ou um tricô. Porém, essa imagem já está para trás há décadas.

O avanços da ciência e da tecnologia contribuíram muito para o aumento da longevidade e consequentemente para a mudança de imagem típica da terceira idade. Como afirmou a revista Veja em uma reportagem especial sobre longevidade, não se espera mais que sessentões se aposentem e passem seus dias em um descanso permanente, vestindo pijamas e acomodados em cadeiras de balanço. Muito pelo contrário, eles estão a toda: ativos no mercado de trabalho, praticando exercícios físicos, cuidando melhor da própria saúde, tendo poder de consumo em mãos e claro, por que não dizer também namorando?

Assim como a imagem do pijama e da cadeira de balanço não é mais parte do imaginário popular, o mesmo está acontecendo com a imagem assexuada da velhice. Isso porque uma vida sexual ativa também está relacionada ao sonho de envelhecer bem.

Quais os benefícios da vida sexual ativa?

De acordo com matéria publicada na Revista Máxima, pesquisas feitas na Inglaterra, Estados Unidos e Brasil chegaram a conclusão de atividade sexual regular significa maior a expectativa de vida, especialmente para as mulheres. A explicação é de que a prática regular do ato sexual aumenta a imunidade do organismo e com isso acaba diminuindo o risco de várias doenças com diabetes, câncer, infarto e depressão, neste caso, doenças que em alguma escala podem ser associadas a idade.

Já segundo informações publicadas no O Globo, um estudo realizado pela Universidade da Califórnia, uma explicação para isso é a de que sentir desejo é um sinal de saúde enquanto a perda da libido pode indicar as doenças que acabam com a vida precocemente, como a diabetes – exemplificada acima – e a hipertensão.

Os cuidados de uma vida sexual ativa acima dos 50 anos:

É comum ver casais que se acomodam a segurança do casamento ou ao fato de que a mulher com essa idade chegou ao fim da idade reprodutiva, porém o sexo continua requerendo cuidados, como o uso do preservativo. Também há fatores da idade que acabam influindo no desejo e no ato sexual em si. Confira algumas dessas mudanças e orientações da Folha Online

– O envelhecimento tende a fazer com que as mulheres diminuam a lubrificação vagina, gerando desconforto. A tendência é que esse desconforto possa ser sanado se elas tiverem vida sexual ativa, mas caso seja muito incômodo, utilize lubrificantes artificiais.

– É indicado prestar atenção e cuidar de forma precoce de diabetes, colesterol alto, doenças cardiovasculares ou de próstata, pois tendem a afetar a vida sexual. Para a mulher, atinge a lubrificação da região genital e para os homens atingem a função erétil.

Como dito acima, nada de deixar a camisinha de lado, mesmo tenho um parceiro ou uma parceira fixa. Não dá para descuidar da saúde.

Top