Entenda como o monotrilho irá impactar algumas áreas de São Paulo

Quem passa pela Av. Roberto Marinho, na zona sul de São Paulo, já deve ter percebido que alguma obra estão acontecendo. Nos últimos dias…

Por Élida Santos em 19/04/2012

Imagem e como vai ficar o projeto finalizado (Foto: Divulgação)

Quem passa pela Av. Roberto Marinho, na zona sul de São Paulo, já deve ter percebido que alguma obra estão acontecendo. Nos últimos dias o espaço foi tomado por máquinas para escavar, além de trabalhadores com coletes e capacetes apareceram. Nessa via vai passar a única novidade importante no transporte público do município que será inaugurada antes da Copa do Mundo: a Linha 17 Ouro do monotrilho.

A linha toda vai ligar a estação Jabaquara do Metrô ao Shopping Butantã, na Av. Francisco Morato. Mas, para o evento esportivo, ficará pronto somente a parte entre o aeroporto de Congonhas e a Marginal Pinheiros, espaço em que o monotrilho fará integração com a Linha 9 da CPTM. O Metrô pretende entregar essa etapa em maio de 2014, cerca de 30 dias antes da Copa. Essa ligação terá 7,7 km de extensão e oito estações: Jardim Aeroporto, Congonhas, Brooklin, Vereador José Diniz, Água Espraiada, Vila Cordeiro, Chucri Zaidan e Morumbi.

Veja abaixo o mapa da obra:

Planta da Linha 17 Ouro (Foto: Divulgação)

Orçada em R$ 3,2 bilhões, a Linha 17 Ouro terá 18 estações e levará 250 mil cidadãos por dia quando for inaugurada. Vai fazer ligação de três linhas do Metrô (a Azul, na estação Jabaquara, além das futuras linhas Lilás, no cruzamento com a Av. Santo Amaro, e Amarela, na Av. Francisco Morato). Também dará a capital paulista algo que outras grandes metrópoles possuem há muito tempo: uma saída “sobre trilhos” do principal aeroporto da cidade.

Se comparado ao Metrô, o novo meio de transporte é construído mais rapidamente e custa 60% da opção subterrânea. Mas não são todos que parecem gostar da novidade. Algumas pessoas dessas áreas nobres de São Paulo temem pelo impacto visual. O Metrô explica que não será um viaduto, mas vigas suspensas. “Além disso, o projeto de paisagismo, que inclui o plantio de muitas árvores para ‘disfarçar’ os pilares, será entregue junto com a obra”, explica Eduardo Curiati, gerente do empreendimento da Linha 17 Ouro.

Top