Entenda as principais causas de aborto espontâneo

Aborto é a eliminação do feto, que estava em desenvolvimento, dentro do útero materno. Sua definição é a ocorrência da expulsão fetal até 22…

Aborto é a eliminação do feto, que estava em desenvolvimento, dentro do útero materno. Sua definição é a ocorrência da expulsão fetal até 22 semanas de gestação, com o feto pesando menos de 500 gramas e medindo abaixo de 132 centímetros.

É chamado aborto recente aquele que ocorre até a 12ª semana de gestação e tardio quando ocorre após esse período.

Existem vários motivos para que o corpo materno acabe eliminando o bebê que está em formação. As causas podem ser fatores provenientes da mãe ou do próprio bebê.

Causas de aborto relacionadas à mãe

1. Portadora de insuficiência lútea, não consegue segurar o bebê por falta de hormônio;

2. Portadora de Diabetes Mellitus não controlada;

3. Problemas imunológicos;

4. Infecções, incluindo a infecção do trato urinário;

5. Presença de mioma uterino;

6. Útero mal formado;

7. Insuficiência istmo cervical;

8. Presença de anticorpos antifosfolípides;

9. Implantação baixa da placenta.

Causas de aborto relacionadas ao feto

1. Problemas cromossômicos – que são inúmeros;

2. Gravidez anembrionada – ausência de feto.

Fatores que ajudam na ocorrência de aborto

1. Idade materna avançada;

2. Uso de álcool;

3. Utilização de gás anestésico;

4. Excesso de cafeína;

5. Tabagismo;

6. Uso de drogas como cocaína;

7. Uso de DIU;

8. Exposição à radiação;

9. Obesidade ou magreza extrema;

10. Doença celíaca.

Embora as causas relacionadas à mãe sejam em maior número, é importante lembrar que não é culpa da mulher a ocorrência do aborto espontâneo.

Tipos de aborto

1. Ameaça de aborto – quando houve sangramento ou ameaça de expulsão do feto, porém ainda há chance de mantê-lo dentro do útero e viável. É importante ter cuidados especiais pra que não ocorra, de fato, o abortamento.

2. Abortamento completo – Normalmente em gestações inferiores á 8 semanas. Ocorre sangramento e dor, até que o embrião seja expulso do útero, então cessam as dores.

3. Abortamento incompleto – Grande sangramento, saída de coágulos, porém o feto não saiu completamente. É necessário internação para tratamento, pois pode se tornar grave.

4. Abortamento retido – Ocorre quando há morte do feto. Os movimentos fetais cessam; não se ouve os batimentos cardíacos e não há perda de sangue. É necessário retirar o bebê.

5. Abortamento de repetição – Quando ocorrem vários abortos em seguida. Nesses casos é necessário investigar as causas do problema.

6. Abortamento infectado – quando o aborto ocorre devido alguma infecção materna.

Atitudes para tentar evitar o aborto

Quando há risco de aborto espontâneo, é importante que a mulher tome alguns cuidados para tentar segurar o bebê:

1. Repousar;

2. Abstinência sexual;

3. Progesterona natural (se orientada pelo médico).

A frequência de abortos espontâneos é muito alta. Grande parte das mulheres aborta ao menos uma vez. É importante que a mulher perceba que não foi erro seu, e sim a própria natureza que determinou a ocorrência do aborto. Muitas vezes o feto tem problemas genéticos que impedem a vida. Caso o abortamento ocorra mais de uma vez, é importante pedir orientação médica para retirar as causas do problema e poder levar uma gestação até o fim.

Top