Entenda a intolerância à lactose em bebês

A intolerância à lactose em bebês é uma disfunção muito comum. Grande parte das mamães suspeitam que seus filhos possuam a intolerância, principalmente por…

Por Editorial MDT em 05/12/2011

A intolerância à lactose em bebês é uma disfunção muito comum. Grande parte das mamães suspeitam que seus filhos possuam a intolerância, principalmente por ser um quadro de manifestações clínicas típico, ou seja, quase todos os bebês apresentam os mesmos sinais e sintomas.

Mas o que é intolerância à lactose?

A intolerância à lactose ocorre no bebê que não apresenta ou possui uma produção diminuída da enzima responsável no processo de digestão da lactose, a enzima lactase; sendo que as células do intestino são responsáveis na produção desta. Ao se tratar de processo de digestão, queremos dizer que a enzima age na quebra da lactose em dois açúcares essenciais ao organismo, a glicose e a galactose. Quando a lactase encontra-se diminuída ou nula no organismo do bebê, ao chegar ao intestino ocasiona a fermentação, manifestando os sinais e sintomas da doença.

Quais são os sintomas da intolerância à lactose?

Basicamente podem ocorrer:

  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Flatulência;
  • Distensão abdominal;
  • Dor tipo cólica.

O que varia em um bebê ou outro quanto a manifestação é a variedade dos sintomas ou o tempo decorrido para que ela ocorra; em alguns ocorrem logo após a ingestão, sendo que em outros podem demorar até horas para acontecer.

Em bebês também é necessário ficar atento a outros tipos de manifestações, além das anteriormente citadas, como:

  • Bebê muito agitado;
  • Infecções de ouvido recorrentes;
  • Eczema – quando a pele do bebê encontra-se muito ressecada, com presença de pequenas manchas brancas.

Como ocorre a intolerância à lactose?

A intolerância à lactose é decorrente, principalmente, por uma questão genética, porém pode ocorrer por uma forma transitória, dentre os tipos, estão:

  • Deficiência congênita da enzima – quando o bebê já nasce com a produção nula da enzima; é um caso bastante raro e quando manifestado, o bebê já apresenta os sintomas desde a introdução ao leite materno, lembrando que a lactose é um dos componentes do leite humano.
  • Diminuição enzimática secundária à doenças intestinais – pode ser manifestada após uma diarréia muito persistente; muito comum em crianças acima de um ano.
  • Deficiência primária – ocorre normalmente uma tendência em diminuir a produção da enzima lactase, conforme a evolução da criança; é o tipo mais comum dentre todos.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico de intolerância à lactose pode ser dado a partir de uma história clínica bem colhida do médico especialista, em associação com o resultado de alguns exames, sendo eles:

  • Teste de tolerância – consiste na introdução de lactose ao bebê, com posterior averiguação da quantidade de glicose no sangue. Quando o bebê é intolerante, ocorre a diminuição da glicose no sangue, ocorrendo o a sua elevação nos tolerantes.
  • Monitoração da quantidade de hidrogênio exalado pela respiração – o gás hidrogênio é um dos gases produzidos com a fermentação da lactose no intestino da criança.
  • Teste de acidez das fezes – averigua a quantidade de ácido produzido nas fezes.

Qualquer dúvida e esclarecimento sobre a doença e o real diagnóstico, é necessário buscar pelo atendimento médico especializado, pois só um especialista pode dizer o que realmente está acontecendo e qual conduta deverá ser tomada diante de cada caso.

Top