Enem não será prejudicado pela greve dos Correios

O ministro da Educação, Fernando Haddad, informou em uma comitiva que a greve dos Correios não deve, e nem irá, prejudicar a entrega dos…

O ministro da Educação, Fernando Haddad, informou em uma comitiva que a greve dos Correios não deve, e nem irá, prejudicar a entrega dos cartões de inscrição aos estudantes que realizarão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Segundo ele, a empresa presta um serviço paralelo para o programa, que não tem nada haver com as demais operações, ou seja, um trabalho independente.

“As operações (de logística) dos Correios são diferentes para o nosso caso. São operações dedicadas e não têm nada a ver com as demais operações”, afirmou ele na audiência pública no Senado Federal.

Com isso, a greve dos funcionários dos Correios, que já causaram mais de 136 milhões de correspondências atrasadas, não deve prejudicar o andamento do Enem.

Para auxiliar os inscritos no exame em eventuais problemas, o portal do Ministério da Educação disponibilizou nesta terça-feira (4) uma área dedicada a este objetivo. “Os estudantes com dificuldades para acessar o local de prova ou que estejam receosos de não receber a correspondência poderão imprimir o cartão de inscrição a partir do portal do MEC”, prometeu Haddad.

Caso encontre alguma dúvida ou problemas com a entrega do cartão, você pode acessar a página criada em http://enem.inep.gov.br/index.html.

Na audiência, Fernando Haddad também comentou sobre o percentual mínimo de participação de alunos de cada escola, hoje taxado em 2%. Ele defendeu o aumento deste valor e alertou que as escolas devem parar de inscreverem apenas os melhores alunos, o que pode proporcionar em uma imagem falsa da qualidade de ensino.

“Quem decide isso é o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). No entanto, me parece que a colocação de que 2% seja uma taxa baixa procede”, disse o ministro sem mencionar qual é o percentual defendido pelo governo federal.

Top