Emprego formal cresce em todos os setores, diz Caged

Todos os setores da economia apresentaram saldo positivo de desenvolvimento de empregos formais no último mês, segundo relatório do Caged (Cadastro Geral de Empregados…

Por Editorial MDT em 19/05/2012

Em abril, a diferença entre contratações e demissões derivou na criação de 82.875 vagas.

Todos os setores da economia apresentaram saldo positivo de desenvolvimento de empregos formais no último mês, segundo relatório do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), publicados nesta quinta-feira (17) pelo Ministério do Trabalho. Essa é a primeira vez que isso ocorre, neste ano.

O setor de serviços conduziu novamente o desenvolvimento de empregos com carteira. Em abril, a diferença entre contratações e demissões derivou na criação de 82.875 vagas. Na construção civil, foram 40.606 postos de trabalho. No comércio, 33.704, postos.

Leia mais: Denúncias de violência contra menores cresce 71% no país

A indústria de transformação notou abertura de 30.318 vagas, com decorrências positivas em 10 de 12 segmentos. Os destaques, em números absolutos, foram Química com 12.740 postos, Borracha, Fumo e Couros com 4.542 postos e Têxtil com 3.140 postos.

Nordeste é exceção

O Sudeste, comandou a criação de empregos formais, com abertura de 142.612 postos de trabalho.

 O Nordeste foi a única região, onde as destituições de funcionários com carteira assinada ultrapassaram as contratações. No último mês, foram fechados 4.924 postos de trabalho na região, segundo relatório do Caged.

O ministério culminou a decorrência a fatores sazonais ligados à atividade sucroalcooleira. No último mês, haviam sido ofertadas 4.595 vagas, resultado ainda estimado como fraco e influenciado pela mesma condição.

Leia também: Facebook estreia no mercado de ações

Em abril, conduziram a redução do emprego no Nordeste os Estados de Alagoas, com 13.274 postos, Sergipe com  2.188 postos e Pernambuco com  2.127. Em todo o país, somente seis regiões apresentaram queda no emprego formal.

Além desses três houve diminuição em Rondônia, Rio grande do Norte e Roraima. O Sudeste, enquanto isso, comandou a criação de empregos formais, com abertura de 142.612 postos de trabalho, com destaque para São Paulo com 85.346, postos.

Top