E-readers vendidos no Brasil: conheça

O desmatamento, em função da produção de papéis, é um problema real, há muito tempo. Este foi um dos motivos que impulsionou a busca…

Por Editorial MDT em 20/01/2013

O desmatamento, em função da produção de papéis, é um problema real, há muito tempo. Este foi um dos motivos que impulsionou a busca por outras alternativas de disponibilização de certos produtos. Sabemos muito bem que a tendência é a digitalização de quase tudo. Com os livros também tem acontecido isso. Na realidade, a digitalização de obras não é nenhuma novidade. Os chamados E-books estão por toda a parte, no mundo virtual. A pessoa que baixa uma versão digital do livro pode lê-lo, na tela do computador, ou nos aparelhos chamados E-readers (leitores eletrônicos).

Os E-readers são os aparelhos eletrônicos que permitem a leitura dos e-books (Foto: Divulgação)

Os E-readers estão e tornando cada vez mais comuns, entre as pessoas que não abrem mão de leituras. O aparelho permite baixar incontáveis títulos, mantendo-os guardadinhos, em um único e pequeno espaço. Nada melhor do que a comodidade em poder carregar centenas de opções em leitura, em qualquer lugar, num aparelho que pesa menos de 500g. A tecnologia dos e-readers também tem melhorado. Os aparelhos tentam imitar, ao máximo, um livro real. Sua tela não emite luz. Ela é refletida, de forma semelhante ao objeto livro, ou seja, ao apagar a luz, não se consegue ler no e-reader, exceto aqueles que têm o aplicativo Paper White, que permitem acender a luza da tela, caso necessário. Há algum tempo, não se vendiam tais aparelhos, no Brasil. Atualmente, porém, algumas livrarias firmaram parcerias com fabricantes, disponibilizando o produto para a venda nacional. Conheça alguns dos E-readers vendidos no Brasil.

E-reader Kindle

E-reader Kindle, da Amazon (Foto: Divulgação)

O E-reader Kindle está ligado a uma parceria da fabricante com a livraria Amazon. Antes, era preciso importar o produto, mas agora ele começou a ser vendido no Brasil. A loja Ponto Frio e está comercializando o produto, por uma média de R$299. Recentemente, foram instalados alguns quiosques de venda no shopping Morumbi (São Paulo) e no Barra Shopping (Rio de Janeiro). Vale a pena observar o que o modelo oferece. Há aparelhos do tipo Touch, em que os comandos são feitos, na tela, sensível ao toque. Há outros, porém, com botões laterais.

E-reader Kobo

E-reader Kobo, da livraria Cultura (Foto: Divulgação)

Depois do Kindle, o E-reader Kobo é o mais conhecido. Ele está atrelado à livraria Cultura. A compra pode ser feita no site da livraria, como em outras. Na Fnac também é possível adquiri-lo. O Kobo custa, em média, R$399. Ele permite a leitura de diferentes formatos de e-books, como o e-pub, que é um dos mais utilizados, na digitalização. É possível encontrá-lo em outros sites de venda. Basta fazer uma pesquisa.

Existe, também, E-reader Alfa, da fabricante Positivo, que fez uma parceria com a livraria Saraiva. Para finalizar, uma alternativa de leitura é o aparelho Cool-er, vendido pela loja brasileira Gato Sabido. Ele é um e-reader que oferece vantagem, em relação aos outros, no quesito número de títulos disponíveis. Ele possui 2 milhões de e-books e ainda tem uma parceria com o Google Books, que disponibiliza mais de 400 livros digitais, gratuitamente. A única desvantagem é que ele só pode ser usado para leitura, enquanto os outros aparelhos citados oferecem inúmeras outras funções.

Entenda as diferenças: Tablets e e-readers: diferenças

Saiba mais sobre essa tecnologia: E-reader: vale a pena comprar?

Top