DPVAT 2013: saiba mais

O dia de pagar o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) gera algumas questões que ficam sem…

Por Élida Santos em 21/01/2013

O dia de pagar o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) gera algumas questões que ficam sem resposta para muitos motoristas. A maioria dos condutores paga o seguro junto ao licenciamento do automóvel, mas de acordo com os especialistas, o certo seria fazer a quitação do valor no começo do ano.

Leia mais sobre: Seguro DPVAT: o que ele não cobre

A parcela do DPVAT de carros é única (Foto: Divulgação)

Como a validade do seguro é para 12 meses, o certo mesmo é pagar o mais breve possível. Ou seja, desembolsando o valor em janeiro de 2013, a cobertura é até dezembro do mesmo ano. Se o proprietário pagar em agosto, por exemplo, terá a cobertura até dezembro, nesse caso, os meses anteriores ficam sem seguro caso aconteça  algum acidente o condutor está desprotegido.

30% dos proprietários deixam de pagar o DPVAT no começo do ano em SP

De acordo com informações do Departamento de Trânsito do Estado de São Paulo (Detran-SP), cerca de 30% dos proprietário de automóveis deixam de pagar o DPVAT no começo de ano, ou seja, junto com o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). No caso de motociclistas, este número sobe para 38%. Mas o número pode ser ainda maior dependo da região do Brasil.

Saiba mais sobre: Seguro DPVAT: o que cobre

Recebimento do seguro obrigatório

Todas as pessoas que sofrem acidentes de trânsito têm direito de receber este seguro obrigatório, mas para isso, devem cumprir algumas exigências. Um desses critérios é ter honrado com o pagamento do DPVAT. Se nesse período que não houve pagamento do imposto acontecer acidentes o proprietário não será indenizado. Porém, se o automóvel estiver com passageiros, estes serão indenizados se ficarem feridos já que não são responsáveis pelo seguro obrigatório do carro.

A indenização das vítimas varia entre R$ 2,7 mil e R$ 13,5 mil, sendo que o primeiro valor é para quem tem gastos com remédios, fisioterapias, consultas, exames e raio X. O DPVAT também cobre a parte de invalidez permanente e invalidez parcial. Em caso de problemas que comprometem movimentos para a vida toda, o valor da indenização é de R$ 13,5 mil. Para quem tem um problema parcial a indenização é de até R$ 13,5 mil. Quando ocorre morte, o valor é de R$ 13,5 mil também.

Siga as recomendações dos especialistas e pague o DPVAT no começo do ano (Foto: Divulgação)

Como solicitar o recebimento dos valores do DPVAT?

Os cidadãos com direito de receber os valores do DPVAT pelos danos causados durante o acidente tem prazo de até três anos para fazer o pedido. Para isso, é necessário apresentar documentos obrigatórios como boletim de ocorrência, registro do primeiro atendimento ambulatorial depois do acidente, recibos de gastos com a saúde após o acidente, como por exemplo, fisioterapia, farmácia, compra e aluguel de equipamentos hospitalares e receitas médicas.

Valores da taxa do DPVAT

No caso de carros o DPVAT só pode ser pago em cota única. O valor é de R$ 105,65. Já para ônibus, motos, microônibus e vans o preço pode ser parcelado em até três vezes. Nesses casos o custo é maior, sendo de R$ 292,01 para motos, e R$ 396,49 para ônibus, microônibus ou vans. Para ter mais informações sobre os valores e formas de pagamento do seguro, acesso o site http://www.segurodpvat.com.br.

Top