Dor crônica: descubra o que fazer para se livrar dela

Sabe-se que hoje a dor crônica acomete quase 30% da população mundial e é caracterizada por se tornar constante por meses ou até anos.…

Sabe-se que hoje a dor crônica acomete quase 30% da população mundial e é caracterizada por se tornar constante por meses ou até anos. Pode estar associada a algumas doenças crônicas ou algum tipo de lesão previamente tratada, assim como pode ser resultado de doenças como: artrite reumatóide, câncer, distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT), entre outras.

Em muitas ocasiões a dor pode ser tão forte que prejudica a vida do indivíduo. Há relatos de pessoas que se tornaram isoladas do mundo externo, abandonando o trabalho e até mesmo amigos, devido à dor e até casos de “relaxo” com a fisionomia e higiene pessoal.

Há muitos estudos e trabalhos que visam o alívio dessa dor, dita por muitos, insuportável. O que existe de mais novo e de resultados comprovadores é a realização de terapia ocupacional. Ela visa a melhora do desempenho do indivíduo afetado nas atividades diárias, como trabalhar, fazer atividades físicas entre outras tarefas. Médicos afirmam que a terapia ocupacional pode ser realizada por qualquer pessoa, independente de sua faixa etária.

Como funciona a terapia ocupacional?

É importante ressaltar que a dor é um fenômeno individual, complexo e multifatorial, portanto o tratamento deve ser personalizado e os objetivos focados em cada pessoa.

Em um primeiro instante é realizada uma aplicação de questionário, que avalia o tipo de trabalho exercido, se realiza atividade física, quais doenças a pessoa apresenta, entre outras perguntas; além disso, também avalia o nível de dor, através de uma escala numérica visual de 0 a 10. A partir disso, o profissional especialista realizará uma avaliação e orientará o paciente, conforme cada final de avaliação. As orientações têm como base adequar a rotina do paciente para que não aumente o quadro de dor.

Como cada pessoa desenvolve ações de maneiras inadequadas e, com o avanço da dor, continuam a realizar os mesmos movimentos, o que aumenta o desconforto e como conseqüência, a limitação física, o foco é a orientação. A técnica para amenizar o desconforto é a “dessensibilização” que envolve o relaxamento das estruturas que estão afetadas e encontram-se dolorosas, facilitando o desempenho das atividades diárias.

Um exemplo disso seria: se o paciente sente dor ao escovar os dentes, então, o especialista avaliaria o ângulo de escovação que ocasiona melhora na dor apresentada.

Outras formas de amenizar as dores dentro da terapia ocupacional seria a realização de atividades em grupo como pintura, esculturas em argila; visando uma melhor autoestima, pois no momento em que são realizadas, esquecemos das dores e dos problemas que nos cercam.

Antes de tomar qualquer decisão, procure um especialista e tire suas dúvidas sobre a realização da terapia ocupacional; pesquise quanto aos resultados e vise sempre, a melhora de vida.

Top