Dona de casa diz ter encontrado um rato dentro de salgadinho Elma Chips

A dona de casa,  Angela Maria Ziele,  diz ter encontrado, na segunda-feira (10), um rato morto dentro de uma unidade do salgadinho Elma Chips. Ela relatou que seu filho de 5 anos chegou a comer um pouco do salgadinho antes que ela notasse o problema. O produto foi comprado, a pedido do filho pequeno, em um supermercado próximo a residência dela.

“Ele abriu e começou a comer, aí meu filho mais velho foi pegar, sentiu um cheiro ruim e disse que estava estragado. Eu falei que não era impossível, mas quando fui olhar o pacote vi manchas pretas no salgadinho. Fui mexendo e encontrei o rato dentro do pacote”, contou ela.

Segundo Angela, de 45 anos, ela imaginou de imediato que o produto estava vencido em decorrência do cheiro ruim, porém, logo se viu enganada quando encontrou o rato. Comentou ainda que a embalagem não estava violada, tornando impossível a hipótese do rato ter entrado no pacote. A primeira atitude tomada pela dona de casa foi dirigir-se ao estabelecimento onde comprou o produto. Lá, ela foi  orientada a procurar a Pepsico, detentora da marca Elma Chips.

“Liguei no 0800 e me avisaram que mandariam uma pessoa na minha casa para fazer a análise. Vieram [nesta terça, 11], tiraram foto, mas não levaram o salgadinho e nem alegaram nada. A informação que tenho é de que a Vigilância Sanitária vai recolhê-lo”, disse.

A maior preocupação de Angela é com a saúde do filho que ingeriu o produto. A mãe  levará o menino ao médico nesta quinta-feira (13) para fazer um check-up. “Tenho medo de leptospirose, não sei quando a doença pode se manifestar. A saúde do meu filho é o que mais me preocupa”.

A Pepsico tomou conhecido da reclamação na terça-feira (11), após a consumidora entrar em contato com Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), e prometeu investigar o caso. Veja a nota da empresa enviada ao portal G1:

“A empresa esclarece que tomou conhecimento da reclamação hoje, dia 11 de outubro, após a consumidora entrar em contato com a empresa por meio do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC).
A companhia aguarda concluir avaliação da amostra do produto para poder se posicionar sobre o ocorrido.
A empresa permanece à disposição para eventuais esclarecimentos.”

A empresa, entretanto, parece negar a contaminação durante o empacotamento. Por meio de uma nota emitida na tarde de hoje (13) a Pepsico comentou sobre o caso:

“Ao tomar conhecimento da reclamação por meio do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), a equipe de atendimento da PepsiCo prontamente dirigiu-se à residência da consumidora a fim de obter mais informações para análise. Apesar da consumidora ter se negado a entregar a embalagem, foi possível rastrear o produto com base na numeração do lote e data.  As análises levaram em conta a documentação do sistema de Detecção de Materiais Estranhos (Raio–X) da fábrica em Itu, São Paulo, que examina de forma rigorosa todos os produtos que saem da indústria para o mercado. De acordo com as boas práticas de fabricação, nenhum produto ELMA CHIPS® é comercializado sem prévia análise do interior da embalagem. Importante enfatizar ainda que os serviços de limpeza e controle de pragas são realizados de forma criteriosa e periódica em todas as fábricas e filiais de vendas da PepsiCo no Brasil”.

Mais informações em breve.

Reply