Doença Clamídia: sintomas, tratamento, prevenção

Corrimento? Pode ser um dos sintomas de clamídia. As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) estão hoje com sua “força total”.  Apesar das muitas campanhas publicitárias…

Por Editorial MDT em 03/11/2011

Corrimento? Pode ser um dos sintomas de clamídia.

As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) estão hoje com sua “força total”.  Apesar das muitas campanhas publicitárias elaboradas no intuito de conscientizar a população para o uso do preservativo, seja ele masculino ou feminino, o hábito ainda não se tornou rotineiro entre a população e esse fato é extremamente preocupante. Já se sabe que as campanhas focam insistentemente na utilização dos preservativos, visando à proteção contra o vírus causador da AIDS (síndrome da imunodeficiência adquirida), porém existem outras doenças muito frequentes, e de alto poder contagioso, em nosso meio. Um exemplo delas é a clamídia.

Para quem desconhece, a clamídia é uma doença infecto contagiosa, transmitida exclusivamente através do ato sexual e o agente causador é uma bactéria. É uma doença que atinge tanto homens quanto mulheres. A principal diferença encontra-se na apresentação dos sintomas.

Mas quais são os sintomas?

De uma maneira geral os portadores da doença, sejam eles homens ou mulheres, não apresentam sintomas inicialmente, porém quando esses são evidentes, teremos:

  • Corrimento vaginal ou peniano abundante, às vezes de coloração clara, outras de aspecto purulento, amarelado;
  • Dor ao urinar ou em baixo ventre (pé da barriga);
  • Nas mulheres, dor durante a relação sexual;
  • Nos homens, dor nos testículos;
  • Sangramento fora do período de menstruação;

Vale lembrar que mesmo os portadores que não possuem sintomas podem transmitir a doença aos seus parceiros, caso não fizerem uso de preservativos durante o ato sexual.

Qual a melhor forma de saber se estou com a infecção?

Durante a consulta, o médico irá questioná-lo quanto à apresentação ou não dos sintomas, assim como realizará o exame físico geral. Após isso, realizará a coleta de secreções genitais. Porém, após exame clínico, mesmo sem a presença do resultado de confirmação (exame de secreção), o profissional da saúde irá iniciar o tratamento. Lembrando que ambos deverão ser tratados (tanto o homem, quanto a mulher), independente da apresentação clínica ou não.

Existem complicações caso não seja tratada?

As principais complicações relacionadas à clamídia são:

  • Inflamação da mucosa endocervical do colo do útero;
  • Inflamação da próstata;
  • E, na pior das hipóteses, infertilidade.

No caso das gestantes portadoras de clamídia e não tratadas, as complicações estão diretamente ligadas aos recém-nascidos, resultando na conhecida oftalmia neonatal. Esta consiste na transmissão da infecção durante o parto natural, podendo levar, quando não adequadamente tratada, à cegueira.

Portanto, antes que seja tarde, tenha a consciência do uso do preservativo, assim como da importância de procurar um atendimento médico de qualidade, mesmo ainda na suspeita. Sua saúde depende disso!

Top