Distúrbios alimentares: como tratar

Sejam motivados por pressão de familiares ou da sociedade, que impõe uma ditadura da beleza a ser seguida com o risco de exclusão de…

Por Editorial em 28/09/2015

Sejam motivados por pressão de familiares ou da sociedade, que impõe uma ditadura da beleza a ser seguida com o risco de exclusão de rodas sociais e a estigma de gordo, o fato é que o número de adolescentes, jovens e até mesmo adultos que passam a sofrer de distúrbios alimentares tem crescido cada vez mais, gerando uma preocupação não apenas nos médicos e psicólogos, mas também em grande parte dos pais.

Distúrbios alimentares: como tratar

A neurose causada pelo medo de que seus filhos, na busca pelo corpo perfeito, sofram de anorexia ou bulimia cresce a cada ano e a exposição demasiada de crianças e adolescentes à padrões de beleza esqueléticos tem sido um fator agravante para o crescimento destas doenças. Embora muitas pessoas não entendam, acabam achando que a criança está fazendo birra ou algo parecido, vale frisas que o distúrbio alimentar é uma doença muito grave e pode afetar diretamente a saúde da pessoas, em casos mais graves, pode levar até a morte.

Conhecendo os distúrbios alimentares

Graças a campanhas de conscientização e combate, as principais formas de distúrbios alimentares já são conhecidas do público, sendo que entre elas a mais perigosa é a Anorexia. Uma doença que consiste de dietas extremamente restritivas à até a total abstenção alimentar.

A anorexia vem matando cada vez mais, podendo ser até mesmo considerada uma epidemia. Ela pode ser considerada a doença psiquiátrica que mais mata atualmente, chegando a ultrapassar a esquizofrenia e atinge em sua grande maioria jovens entre 15 e 25 anos, sendo que a grande maioria consiste em mulheres que buscam o corpo perfeito. A falta de alimentos enfraquece o corpo, aumentando gravemente o risco de morte com relação às pessoas da mesma idade. Uma das principais marcas da anorexia consiste na autoimagem distorcida, onde a pessoa se enxerga gorda, mesmo que muitas vezes já tenha chegado a adquirir formas esqueléticas.

Além da anorexia, outro distúrbio que assusta e mata é a bulimia. Uma doença que consiste em episódios de grande ingestão de alimentos seguido por uma sensação de culpa que leva o paciente a ingerir grandes quantidades de laxante ou induzir ao vômito, tentando fugir do ganho de peso. Pessoas que sofrem de bulimia chegam a ingerir quantidades imensas de alimentos que podem somar mais de 5 mil calorias em um único episódio. Diferente da anorexia, a bulimia atinge em sua grande maioria mulheres mais maduras, entre 20 e 29 anos, geralmente de classe alta.

Como tratar distúrbios alimentares

Não há uma cura fácil para distúrbios alimentares, mas um tratamento que muitas vezes pode durar a vida toda

Segundo psiquiatras especializados, os fatores que levam uma pessoa a adquirir estas doenças são variados, entre eles os mais comuns são pressão familiar para que haja perda de peso e a pressão social, mas fatores biológicos também existem e devem ser levados em consideração.

Por se tratar de uma doença psiquiátrica não existe medicação ou uma cura específica, mas um tratamento que exige paciência e cuidado, com acompanhamento psicológico e a conscientização de que aquele estado pode levar à morte.

É importante a participação dos pais ou entes queridos no processo e que compreendam que cobranças exageradas podem gerar ainda mais problemas. Não há saída fácil, mas uma luta que pode durar a vida inteira, portanto, procurar ajuda especializada e ter paciência são as chaves para vencer aos distúrbios alimentares e seguir com uma vida normal.

Top