Dislexia – O que é?

Às vezes a dislexia é entendida como falta de interesse e até preguiça, mas a verdade é que muitas pessoas desconhecem esse distúrbio que…

Por Redacao em 19/01/2012

Às vezes a dislexia é entendida como falta de interesse e até preguiça, mas a verdade é que muitas pessoas desconhecem esse distúrbio que afeta cerca de 20% da população mundial. Saiba mais sobre o que é o problema, como identificar e tratar. Fique por dentro!

Dislexia, o que é? (Foto: Divulgação)

☰ CONTEÚDO

Dislexia, o que é?

A dislexia é um distúrbio genético e neurológico que afeta o aprendizado; nisso ocorrem falhas nas conexões cerebrais o que faz com que a criança tenha dificuldade de ler (é difícil assimilar as palavras), escrever, soletrar e associar símbolos gráficos. Mas uma criança ter dislexia não quer dizer que ela não é inteligente, ao contrário, ela pode apresentar QI igual ou até maior do que outras crianças. Se a dislexia for tratada, no futuro a criança pode ter o conhecimento e também sucesso profissional, assim como alguns nomes do meio artístico que são disléxicos e obtiveram sucesso como a autora Agatha Christie, o ator Tom Cruise, o inventor Thomas Edison e o fundador de personagens e estúdios da Disney – Walt Disney.

A dislexia é um distúrbio genético e neurológico que afeta o aprendizado (Foto: Divulgação)

Como identificar a Dislexia:

Desde o início do jardim de infância ou pré-escola é possível notar algumas características que a criança pode apresentar que podem identificar a dislexia. Dificuldade em aprender rimas e canções, falta de atenção, fraco desenvolvimento de coordenação motora, dificuldade em reconhecer letras e fonemas e também dificuldade em montar brinquedos como quebra-cabeças são alguns deles. Já quando a criança está no primário ou séries mais avançadas é mais fácil de perceber se ela sofre de dislexia, pois ela apresenta algumas dificuldades como ler palavras simples, soletrar, identificar fonemas, além da falta de atenção, dificuldade em usar mapas e dicionários e constantemente trocar letras como a p por b, por exemplo. Os pais e professores são as pessoas que mais podem e devem estar atentas a esses sinais; muitas vezes os professores confundem essa dificuldade que o aluno tem com a preguiça e falta de interesse, o que vale sempre avaliar melhor e chamar os pais para tomar uma providência como uma possível consulta a um especialista.

Pai e professores devem estar atentos aos sinal da dislexia (Foto: Divulgação)

Como tratar 

O indicado é procurar ajuda de especialistas como médicos neurologistas, fonoaudiólogos, psicopedagogos e psicólogos para saber melhor qual o grau da dislexia da criança e para uma melhor orientação. A atenção e ajuda dos familiares e professores no aprendizado é a base para a criança se tornar um adulto seguro e confiante.

Top