Diretor geral do Google no Brasil é preso pela PF

Fábio José Silva Coelho, diretor-geral do Google no Brasil, foi preso nessa quarta-feira, 26 de setembro, na capital paulista. De acordo com a nota…

Por Élida Santos em 26/09/2012

Fábio José Silva Coelho, diretor-geral do Google no Brasil, foi preso nessa quarta-feira, 26 de setembro, na capital paulista. De acordo com a nota oficial divulgada pela Polícia Federal (PF), Coelho foi levado pelos policiais, pois a companhia que dirige se recusou a cumprir uma ordem do Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso do Sul (TRE-MS). A imposição do TER-MS com relação ao YouTube era a retirada de um vídeo que ataca o candidato à prefeitura de Campo Grande Alcides Bernal (PP).

Leia mais sobre: Celular do Google no Brasil

 

Fábio José Silva Coelho, diretor-geral do Google no Brasil, foi detido nessa quarta-feira, 26 de setembro (Foto: Divulgação)

O executivo do Google que foi preso hoje, deve ser liberado ainda nesta noite.  “Por se tratar de um crime de menor potencial ofensivo, apesar de trazido para a Polícia Federal, ele não permanecerá preso. Será lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência, com a oitiva do conduzido e sua liberação após a assinatura do compromisso de comparecer perante a Justiça”, descreveu a nota da PF.

Tire suas dúvidas com relação a prisão do diretor do Google

O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) decretou a prisão do diretor do Google no Brasil e a suspensão do YouTube no Estado por 24 horas, na semana passada. O crime cometido pela empresa que administra o maior site de busca do mundo, de acordo com a Justiça Eleitoral, foi a desobediência por não tirar do ar dois vídeos contra o candidato a prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP).

Saiba mais sobre: Vagas de emprego Google Brasil 2012

O Google recorreu rapidamente, assim que recebeu a notificação emitida pelo juiz Flávio Saad Peren, da 35ª Zona Eleitoral, na semana passada. No entanto, o pedido da companhia foi negado. Na última segunda-feira (24 de setembro), a ordem de prisão foi encaminhada à Polícia Federal de São Paulo.

O Google já foi acusado de exibir vídeos que vão contra a justiça eleitoral (Foto: Divulgação)

Mais um pedido de prisão emitido pelo Google no Brasil

Essa é a segunda vez nestas eleições que a Justiça eleitoral determina a prisão de um executivo do Google por não cumprimento de ordem de exclusão de um vídeo no canal do YouTube, com esses moldes. Na semana passada, o juiz Ruy Jander Teixeira, da 17ª Zona Eleitoral de Campina Grande (PB), determinou a prisão do diretor geral do Google, Edmundo Luiz Pinto Balthazar, pelo mesmo motivo. Dessa vez, o vídeo em questão atacava o candidato à prefeitura da cidade Romero Rodrigues (PSDB-Paraíba). Porém, o juiz Miguel de Britto Lyra não concordou com a solicitação de detenção do executivo e não o responsabilizou pela publicação e veiculação do vídeo.

Top