Dilma pretende usar a economia para ‘esquecerem’ do caso Cachoeira

Quando se abre atualmente os jornais e revistas se vê em evidência “escândalo do governo” Dilma. O mesmo vale para quem aprecia os telejornais.…

Dilma quer evidenciar o que seu governo tem de bom (Foto: Divulgação)

Quando se abre atualmente os jornais e revistas se vê em evidência “escândalo do governo” Dilma. O mesmo vale para quem aprecia os telejornais. O assunto sempre em pauta rende mais a cada dia. São novas escutas telefônicas, denúncias e possibilidades de desvio de verba destacas pela mídia nacional. Para o povo o caso Cachoeira é mais um de corrupção que merece ser investigado, já para os partidos políticos que tem pessoas citadas nas denúncias a situação está cada vez pior.

Em uma tentativa de mostrar as bem feitorias de suas medidas para a nação brasileira, a presidente Dilma Rousseff e os senadores, não pararam nem em uma semana que poderia ser considerada de recesso graça ao feriado de 1° de abril. O plenário pode até não ficar lotado, mas os presidentes da Câmara, Marco Maia (PT-RS), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP), acham que dá para tentar votar algumas medidas provisórias que estão obstruindo a pauta.

Carlinhos Cachoeira continua em pauta (Foto: Divulgação)

Hoje, 2 de abril (pós-feriado), a presidente da república tratou de convocar uma reunião prontamente, com líderes governistas e os ministros da Fazenda, Guido Mantega. Demonstrando que os seus planos para o país não podem parar. O tema dessa reunião de hoje será a economia, que disputa espaço na mídia com o “escândalo Cachoeira”.

Para o Palácio, além de se falar da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira é preciso priorizar queda de juros e a votação das novas regras de cobrança do ICMS sobre vendas na internet, assim como o fim da chamada guerra dos portos. Com certeza os assuntos econômicos devem ser mantidos em pauta, pois são mais importantes que tudo, nesse momento de crescimento. No entanto, eliminar a corrupção no âmbito parlamentar é tão importante quanto tudo isso.

A estratégia é simples: colocar assuntos sobre a economia e as bem feitorias do governo na mídia ocupa um espaço que seria ocupado pelo escândalo Cachoeira. Dessa maneira a presidente Dilma, que mostrou não aceitar tão passivamente as denúncias como fez Lula, não terá sua imagem alterada diante a população. Enquanto tiver o que se dizer sobre o caso Cachoeira a mídia não vai parar de mostrar os acontecimentos, no entanto, pois não se pode deixar de falar das medidas que pretendem mudar a realidade nacional.

Top