Dilma discute o problema da seca com governadores do nordeste

Nesta segunda-feira, 23 de abril, a presidente da república, Dilma Rousseff, se reunirá com governadores que representam os Estados da região nordeste do país…

Por Élida Santos em 23/04/2012

Nesta segunda-feira, 23 de abril, a presidente da república, Dilma Rousseff, se reunirá com governadores que representam os Estados da região nordeste do país que foram assolados pela seca. Esse encontro tem como objetivo o debate da problemática e o anúncio do Governo Federal de medidas contra a seca. Todos se reunirão em Aracaju, capital de Sergipe, Estado com 18 cidades que estão em situação de emergência por conta da estiagem.

Dilma quer resolver problema da seca com verbas federais (Foto: Divulgação)

De acordo com a Secretaria Nacional de Defesa Civil, os estados de Sergipe, Bahia, Piauí e Rio Grande do Norte possuem juntos, pelo menos, 32 cidades em estado de emergência por conta do tempo sem chuvas. Os governadores deverão levar suas demandas à Defesa Civil e para a presidente da república, para que a União possa disponibilizar verbas. Na última sexta-feira, 20 de abril, o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, reuniu-se duas vezes com Dilma Rousseff para debater os temas dessa reunião de hoje. Os nomes dos governadores que participarão da reunião com Dilma e com o ministro ainda não foram confirmados pela assessoria de imprensa do Palácio do Planalto.

Não se sabe quais estados serão representados no encontro (Foto: Divulgação)

O governador de Pernambuco será um dos presentes, de acordo com a assessoria de imprensa. O encontro foi acertado no último dia 19 de abril, quinta-feira, depois que a presidente telefonou para Campos para obter informações sobre as consequências da estiagem no estado.

Além do encontro com governadores em Aracaju na tarde desta segunda-feira, a presidente terá mais um compromisso em Sergipe. Na cidade de Rosário do Catete, a 30 km da capital, Dilma participa da cerimônia de contrato de arrendamento de reservas de potássio entre a Petrobras e a Vale.

Top