Dieta para controlar ácido úrico

O ácido úrico está entre as muitas substâncias que são produzidas de forma natural pelo organismo. Ele surge da quebra de moléculas de purina,…

Diminuir a ingestão de proteínas é importante para evitar o ácido úrico.

O ácido úrico está entre as muitas substâncias que são produzidas de forma natural pelo organismo. Ele surge da quebra de moléculas de purina, proteína contida em vários alimentos. Sabemos que as alterações dos níveis séricos de ácido úrico causam diversas complicações. Para manter o controle dessas substâncias é necessário tomar cuidado com alguns alimentos que podem ajudar no seu descontrole.

O acido úrico 

O acido úrico surge devido a quebra de moléculas de purina, uma proteína que está presente em muitos alimentos. Depois de utilizadas pelo organismo, essas moléculas são quebradas e transformadas em ácido úrico. Uma parte dele fica no sangue e outra é eliminada pelos rins na urina.

Os níveis de ácido úrico podem aumentar por:

  • Aumento da sua produção;
  • Não ser eliminado adequadamente pela urina;
  • Ação de alguns medicamentos.

Complicações devido ao aumento do urato de sódio

Devido à elevação dos níveis dessa substância, formam-se pequenos cristais de urato de sódio que ficam depositados pelo corpo. Eles costumam se depositar preferencialmente nas articulações, nos rins, pele ou em qualquer outra região do corpo. Dessa forma podem causar problemas como:

  • Gota;
  • Artrite;
  • Insuficiência renal aguda ou crônica;
  • Cálculos renais (pedras);
  • Aumento do risco do desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Evite cerveja ou chopp.

Dieta para controlar o ácido úrico 

1. As restrições totais de calorias podem aumentar o ácido úrico de forma aguda;

Leia Também:  Oceania - Roteiro de Viagens, fotos

2. Mantenha o corpo sempre hidratado, pois a ingestão de líquido aumenta a produção de urina, evitando a formação de cristais;

3. Não ingerir bebidas alcoólicas. Principalmente nos casos de gota e lesões renais;

4. A alimentação deve ser balanceada, dando preferência aos alimentos que não aumentam os níveis de ácido úrico;

5. A ingestão de carnes e frutos do mar está associada a um maior risco de gota;

6. Existe uma forte relação entre o consumo de laticínios e a redução do ácido úrico;

7. A ingestão de proteínas vegetais não está diretamente relacionada ao risco do aparecimento da gota. Alguns estudos mostram que algumas proteínas vegetais podem até possuir efeito protetor. 

Alimentos liberados 

  • Leite desnatado, queijo branco;
  • Cenoura, beterraba, abóbora, acelga, couve, nabo, agrião, batata, pepino e chicória;
  • Pêssego, uva passa, banana, damasco, caqui, tâmara e abacaxi. 

Alimentos que devem ser evitados 

  • Linguiça, salame, mortadela, salsicha;
  • Linguado, sardinha, marisco, mexilhão, arenque;
  • Fígado, coração e rins de boi;
  • Carne bovina e suína, bacon, molhos, temperos;
  • Cerveja e chopp;
  • Maionese e sopas industrializadas. 

Uma alimentação balanceada pode ser a solução.

Ter uma alimentação balanceada rica em alimentos que ajudam a manter o equilíbrio dos níveis de ácido úrico é muito importante para preveni-lo e tratá-lo. Além disso, é indispensável fazer uma consulta com especialista para melhor avaliação do caso e a realização de exames complementares.

Veja também Tratamento caseiro para gota e saiba como prevenir a gota

Top